Avançar para o conteúdo principal

Stress Infantil - Uma abordagem naturopática


Stress quem não o tem?!? Mas o que é o stress propriamente dito? Nada mais do que uma reacção do corpo a factores de instabilidade psicológica, hormonal e física que ocorre quando o organismo se está a tentar adaptar a uma determinada situação, algo que só por si, faz parte da natureza de “detective” das crianças que estão constantemente à descoberta.

O problema surge quando esta reacção se torna excessiva e derivada de acontecimentos negativos que causam determinados comportamentos que erradamente, como pais, apelidamos de birras, manhas ou mal criação.

Apesar do suposto conforto e oportunidades que os nossos filhos têm nos dias de hoje, a grande maioria deles depara-se com graves problemas escolares, domésticos ou mesmo conflitos internos, fruto de situações disfuncionais que lhes afectam de tal maneira fazendo-os reprimir sentimentos dos quais, nós pais, muitas vezes nem nos apercebemos.
Situações como violência na escola ou em casa, comportamentos repentinos de agressividade, uso de drogas e outros vícios são geralmente formas que as crianças/adolescentes têm de gerir as suas emoções reprimidas e lidar com os agentes stressores a que estão sujeitas.

Uma resposta adequada aos factores que activam os mecanismos de stress na criança ou adolescente, parte de uma abordagem social, ou seja, uma abordagem que inclua todos os aspectos da vida da criança, seja na escola com os professores, seja com profissionais que saibam ensinar a criança a lidar / expressar melhor as suas emoções ou com alterações no ambiente familiar.

Aqui falarei sobre a abordagem naturopática no alivio da carga de stress que uma criança ou adolescente possa carregar consigo.

O stress pode-se manifestar das mais variadas formas e como não é algo especifico e detalhado passa muitas vezes ao lado do nosso olhar atento. Entre os diversos sintomas podes estar atenta a estes:

- Dor de barriga frequente             - Diarreia                               - Tique nervoso
- Náuseas                                          - Dor de cabeça                    - Enurese nocturna
- Terrores noturnos                         - Hiperactividade                 - Tensão muscular
- Ranger dos dentes                        - Agressividade                     - Falta de apetite
- Medo ou choro excessivo            - Impaciência                        - Ansiedade
- Desobediência                              - Hipersensibilidade              - Insegurança          

            Claro que nenhum destes sintomas isolados podem ser considerados para o diagnostico de stress infantil, deves sempre avaliar todo um conjunto de sintomas e atitudes do teu filho para chegares à conclusão de que padece de nível elevados de stress. Mas deixa-me dizer-te que de acordo com um estudo realizado pela International Stress Management Association (ISMA), as criticas e os comentários desaprovadores provenientes de nós, pais, estão na origem de 63% dos casos de stress infantil. A pesquisa analisou 220 crianças do Rio Grande do Sul e de São Paulo com idades entre os 7 e os 12 anos. No final, publicou também que 56% das causas de stress infantil deve-se a actividades em excesso.

            Uma das grandes consequências é que o stress em excesso enfraquece o sistema imunitário e pode levar a estados depressivos, úlceras e à síndrome do intestino irritável. Mas falemos de situações mais banais. Quantas crianças não estão constantemente com gripes, constipações, otites, laringites e muitas outras “ites”...quantas crianças não sofrem de dores de cabeça, de barriga, diarreias constante ou ainda quantas não acordam aos berros a meio da noite?!? Temos que sentar (de preferência à beira mar eheh) e ponderar seriamente o impacto que esta nossa sociedade “moderna” está a ter nas nossas crias. Já paraste para reparar quantas crianças estão emocionalmente desligadas de si mesmas? É assustador...principalmente porque o melhor remédio que lhes podemos dar é gratuito e abundante...chama-se AMOR, EMPATIA e RESPEITO!!

Para complementar esse magnifico medicamento gratuito que é o amor, a empatia e o respeito, podemos utilizar as plantas medicinais porque dão suporte ao sistema nervoso da pequenada, tonificam a glândula adrenal, regulam a actividade hormonal nos adolescentes e de forma geral ajudam-nas a relaxar, promovendo a sua tranquilidade.
Tanto os pais como os professores que se sentem "atacados pelo bicho do stress" também beneficiam com estas recomendações.

Recomendações Naturopáticas:

As plantas medicinais mais utilizadas na infância para reduzir o stress, são as plantas adaptogénicas.
Sabes o que isso significa? Significa que são plantas que aumentam a capacidade do organismo de se adaptar ao stress emocional e físico. Assim, o grande objectivo é reduzir a susceptibilidade dos nossos filhotes ao stress, induzir um estado mais relaxante e dar suporte às glândulas adernais.
Dentro deste contexto utilizam-se plantas como o ginseng siberiano, panax ginseng, alcaçuz, ashwaganda, maca, bacopa e urtigas.
Além das plantas no seu Totum vegetal também se pode fazer uso da aromaterapia pelo seu profundo efeito relaxante na família toda, como é o caso do óleo essencial de alfazema.
Suplementos como a vitamina B12 e o magnésio também costumam ter efeitos bastante benéficos no equilibro da saúde emocional das nossas crianças.

Agora, de forma mais especifica, as crianças que sofrem de muita irritação, agitação emocional e tensão generalizada podem ingerir, sob a forma de infusão, decocção ou tintura, plantas medicinais como:
- Camomila (Matricaria recutita): antialérgico na pele, olhos ou rinite alérgica. Melhora a função digestiva principalmente quando associada ao stress ou à ansiedade (cólicas, má digestão, gastrites, diarreia, úlcera péptica e gases). É antinflamatória e reparadora da pele. Toma: 1 colher de chá de camomila para 150ml de água a ferver.
- Valeriana (Valeriana officinalis L.): Relaxante do Sistema nervoso, muito utilizada no tratamento da ansiedade, melhora o humor, combate eficazmente as insónias porque permite um sono mais profundo. Útil nos espasmos intestinais e cólicas causadas pelo stress, diminui as palpitações e as arritmias agravadas pelo stress. Atenção: Não aconselhada a crianças com menos de 3 anos. Toma: ½ colher de chá de valeriana finamente picada, deitar 150ml de água e deixar ferver 10 minutos. Repousa 10 a 15 minutos para arrefecer e pode-se dar à criança.
- Lúpulo (Humulus lupulus L.): Útil na ansiedade, angustia, insónia, depressão, falta de apetite e enxaquecas. Toma: 1 colher de chá de flores esmagadas para 150ml de água a ferver, tapar e aguardar 10 minutos antes de beber.
- Tília (Tilia spp.): efeito tranquilizante, diurético e espasmolítico. Toma: 1 colher de chá para 150ml de água a ferver e deixar repousar 5 minutos.
Existem muitas outras plantas e suplementos que podem ser dados aos pequeninos para os ajudar a lidar com as situações que lhes causam tensão, mas as que dei como exemplo já ajudam a terem uma ideia do mundo que é a naturopatia e do que ela pode fazer pelos nossos futuros adultos. Uma coisa MUITO IMPORTANTE que tenho de frisar é que as doses a administrar a uma criança dependem do seu peso, podem no entanto, aplicar a seguinte regra:
Dose de criança (de infusão) = (peso da criança / 68kg) x 200 ml de infusão = x ml. Assim, x ml é a dose de infusão a ingerir pela criança em cada toma.
Outras dicas que considero úteis para promover um ambiente "stress free" na criançada é:
- A Hidroterapia. As actividades dentro de água ajudam a relaxar o sistema nervoso e melhoram o desenvolvimento cognitivo.
- A Reflexologia. Trabalhar nos pontos dos pulmões, supra-renais, rins e plexo solar.
- Ouvir música clássica ajuda as crianças a centrarem-se. Os exemplos mais conhecidos (e estudados) são Mozart e Bach.
- Caminhar descalço na terra, relva ou areia porque estimula a planta dos pés e relaxa o sistema nervoso.
- Correr, brincar e sujar-se. Sim as crianças que se sujam a brincar são mais felizes.
- Evitar a sobreexposição a estímulos electrónicos.
- Ensinar a criança a visualizar. Podem fazer exercícios em que incentivam a criança a fechar os olhos e a imaginar-se ou num mundo de fantasia dela ou num dos seus locais preferidos.
- Incentivá-lo a escrever um diário
- Deixá-lo apanhar sol diariamente sem protector solar, claro que nas horas seguras – na parte da manhã até às 9:30/10h (depende da altura do ano) e na parte da tarde a partir das 17/18h (dependendo da altura do ano). A vitamina D é essencial para a manutenção de um sistema nervoso saudável, logo para a redução do stress das nossas crias.

A alimentação é essencial para todos nós nos sentirmos bem e as crianças são particularmente sensíveis ao tipo de alimento que consomem, então torna-se crucial adoptar determinadas medidas que lhes facilitem a adaptação aos mecanismos stressantes. Dentro de vários alimentos, estas são as alterações que destaco como as mais benéficas.

-               Diminuiu a quantidade de açúcar que o teu filho consome: Os açucares de libertação rápida criam um estado de stress no organismo porque estimulam a libertação de cortisol, por isso é a nossa função ajudar a evitar que os mais pequenos consumam em excesso pão branco, doces, cereais ou outros alimentos ricos em açúcar.
-               Aumenta o consumo de hidratos de carbono de libertação lenta: estes equilibram os níveis de energia no corpo. Os alimentos que oferecem efeitos mais positivos são a fruta, os cereais integrais, as leguminosas, os frutos secos e as sementes.
-               Os cereais integrais favorecem a produção de um neurotransmissor cerebral denominado serotonina e uma maior sensação de bem-estar, por isso, é abusar deles.
-       Os alimentos ricos em proteínas animais elevam os níveis cerebrais de dopamina e noradrenalina que estão associados a níveis elevados de ansiedade e de stress.
-               Dá mais frutas cítricas ao pequeno: Estudos comprovaram que a vitamina C, presente nas frutas cítricas, diminui a secreção de cortisol, hormona libertada pela glândula adrenal em resposta ao stress e à ansiedade. O seu consumo promove o bom funcionamento do sistema nervoso e aumenta a sensação de bem-estar. A laranja, por exemplo, é óptima como relaxante muscular, ajuda a combater o stress e a prevenir a fadiga. Como é muito rica em vitamina C, cálcio e vitaminas do Complexo B., a sua ingestão inibe a libertação de cortisol, principal hormona relacionada com o stress.
-               E Bananas? Qual é a criança que não gosta delas?: Um estudo feito por pesquisadores do Instituto de Pesquisas de Alimentos e Nutrição das Filipinas comprovou que esta fruta ajuda no combate da depressão e alivia os sintomas da ansiedade devido ao elevado teor de triptofano que possui, ajudando na produção de serotonina.
-        Alface: substâncias encontradas principalmente nos talos das folhas como a lactucina e lactupicrina, actuam como calmantes naturais. Na refeição incentiva o teu filho a começar sempre pela salada!
-               Espinafre e brócolos: Como são fontes ricas em potássio, magnésio, fosfato, vitaminas A, C e ácido fólico, tornam-se importantes para o bom funcionamento das células, assim como, garantem o bom funcionamento do sistema nervoso.
-              Dá-lhe Castanha-do-pará como snack: esta castanha é muito rica em selénio tornando-a num alimento antioxidante e muito eficaz na redução do stress. Toma nota: Uma castanha-do-pará por dia fornece a quantia diária recomendada de 350mg.
-              Uma Maçã por dia, nem sabes o bem que lhe fazia: Esta fruta é rica em actidina - enzima que melhora a circulação – ajudando por isso a ultrapassar a fadiga que o stress provoca, além disso é riquíssima em potássio, fósforo e vitaminas A, B1, B2.
-        Amêndoas, Mais um excelente snack a juntar à lista: as amêndoas possuem quantidades substanciais de ómega 3 e 6, (ácidos gordos essenciais ao cérebro), vitaminas do complexo B, cobre, ferro, fósforo, cálcio e potássio, que ajudam a ultrapassar o cansaço.
-          Aveia e a sua versatilidade: Como sabes, a aveia é muito rica em proteína e um excelente aliado do sistema nervoso porque é rica em vitamina B1, fósforo, potássio, magnésio e cálcio. A avenina, tem um efeito antioxidante e calmante, contrariando estados de tensão e prevenindo alterações do sistema nervoso.
-            Já me cheira a Canela: humm...que banana salpicada com canela é tão bommm!! Olha, já reparaste que a banana também faz parte desta lista? Boa, então juntamos os dois e temos uma bomba anti stress. A canela por si só tem um efeito redutor do açúcar no sangue então ajuda a contrariar os efeitos do stress.
-               Quem diz que os mais pequenos não devem comer chocolate?: Podem e devem, desde que seja chocolate preto ou cacau cru. Além de saborosíssimo, são uma das maiores fontes de triptofano que existe. Além de contribuir para a síntese de serotonina, também tem a capacidade de libertar endorfinas, que transmitem a sensação de bem-estar nos nossos filhotes. Então, incluir um quadrado de chocolate preto (sem açúcar claro) ou cacau cru por dia na alimentação deles, é uma forma docinha de aumentar a produção de serotonina no organismo.
-      A moda do coco: não é para menos que o coco esteja na moda, porque é rico em micronutrientes como potássio, cobre, zinco, ferro, fósforo e ácido fólico, que além de o tornarem num alimento nutritivo é altamente energético.

"A melhor forma de prevenção é a modelação parental de atitudes e comportamentos saudáveis no interior da família."
Autor desconhecido


Naturopata Vera Belchior (N.D.)

Comentários

Mensagens populares deste blogue

O que deves saber para agilizar as constipações e a tosse nos bebés.

A cada ano, centenas de bebés e crianças sofrem de constipações e tosse, principalmente devido ao seu sistema imunitário ainda imaturo.

É muito fácil identificarmos os sintomas de constipação e tosse nas nossas crianças. Começam logo a ficar com o nariz congestionado, com muita ranhoca (corrimento nasal), febre baixa, tosse, perda de apetite, irritabilidade e dificuldade em dormir. Qual a mãe, pai ou outro educador que não reconhece o desafio que é cuidar de uma criança doente? A natureza delas é de felicidade, alegria e brincadeira...de repente sentem-se mal apresentando alguma dificuldade em compreender claramente aquilo que estão a sentir, como tal, o nosso papel é orientá-las e ajuda-las a sentirem-se o melhor possível no menor espaço de tempo.

Como sou a favor da posição da American Academy of Pediatrics a qual desaconselha dar medicamentos para a tosse e constipações a crianças menores de 6 anos devido aos potenciais efeitos colaterais desses medicamentos, opto, sempre que poss…

Bolo de Cenoura [sem açúcar e sem glúten]

Andava com vontade de comer um bolo de nozes, mas não encontrava nenhuma receita que me desse água na boca, então fui para a cozinha fazer experiências com base numa diversidade imensa de receitas que fui vendo...adaptei, adaptei...e adaptei e saiu tudo menos um bolo de nozes (rsrsrsss)...mas ficou delicioso na mesma (vá lá...uffa!!)
Ora aqui vai a receita para quem quiser aventurar-se:
Vais precisar de:
- 2 chávenas de farinha de trigo sarraceno - 3 colheres de chá de fermento - 5 colheres de chá de canela em pó - 5 cenouras raladas - 1/2 chávena de coco ralado - 1/2 chávena de nozes raladas - 300g de tâmaras trituradas - 1/2 chávena de bebida vegetal (usei de arroz e soja do aldi) - 2 colheres café de baunilha

Pré-aquece o forno a 180ºC

Mistura todos os secos/sólidos e depois vai adicionando o liquido.
Bate tudo muito bem e leva ao forno cerca de 50minutos (depende de cada forno).

Eu costumo usar formas de silicone para não ter de adicionar gordura, fica a dica.

Bom apetite!!


Questionas-te se a Vitamina D é prejudicial sem a vitamina K?

Nos últimos tempos muito se tem falado sobre o possível prejuízo que a ingestão de vitamina D pode ter na ausência da vitamina K, mas as alegações científicas ainda não são muito consistentes. Como as pessoas que recorrem à minha consulta de naturopatia sabem, eu não sou muito apologista da suplementação nutricional. Existem casos em que ela é realmente necessária, existem outros casos em que recorrer a suplementação nutricional numa fase inicial pode ajudar o paciente a recuperar mais rápido, mas na maioria dos casos, recorrendo aos alimentos, ou seja, aos nossos suplementos “in vivo” é mais do que suficiente para se obter bons resultados terapêuticos. Dito isto, já podem antever que a minha opinião acerca do consumo de vitamina K sob a forma de suplemento não é muito abonatória, mas lá está...cada caso é um caso e há que se analisar individualmente a condição clinica da pessoa que procura ajuda.
Como todos sabemos, as vitaminas D e K são vitaminas lipossolúveis, ou seja, solúveis e…