Avançar para o conteúdo principal

Erva-príncipe


É um chá muito agradável com um forte sabor a limão, que actua como digestivo sendo óptimo para beber após as refeições.

Combate a má disposição, a azia, melhora o sono devido às suas propriedades calmantes, é febrífuga (baixa a febre), aumenta a sudorese, tem acção hepatoprotectora e antiespasmódica. Em bochechos, ajuda no tratamento de gengivites, aftas e candidíase oral. O seu óleo essencial (citronela e limoneno) é muito utilizado como repelente de insectos.

De acordo com uma investigação, o chá príncipe ajudou no tratamento da candidíase oral em pacientes com HIV. Neste ensaio, realizado na África do Sul, 90 pacientes foram divididos em 3 grupos:

- os que ingeriam a erva-príncipe em infusão,
- os que ingeriam sumo de limão
- os que aplicaram o antifúngico genciana violeta.

Todos os tratamentos foram eficazes, com ligeira vantagem para o sumo de limão. Como repelente de insectos, foi considerado o mais eficaz de 38 óleos essenciais comparados, juntamente com o patchouli e o cravinho-da-índia.

Administração


Em chá, duas colheres de sopa para um litro de água. Deixar em infusão durante 10 minutos. A planta deve ser colhida fresca, de forma a utilizar todos os seus óleos essenciais.
Pode-se utilizar as folhas frescas da erva-príncipe, para refogados ou em saladas.


Ice Tea de Erva-Príncipe
2 folhas frescas compridas de Erva-Principe;
1 litro de água
Sumo de 3 limões
Mel a gosto

Lavar, cortar e triturar a erva-principe junto com a água. Juntar o sumo de limão e o mel.
Triturar novamente, coar e guardar no frigorifico.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

O que deves saber para agilizar as constipações e a tosse nos bebés.

A cada ano, centenas de bebés e crianças sofrem de constipações e tosse, principalmente devido ao seu sistema imunitário ainda imaturo.

É muito fácil identificarmos os sintomas de constipação e tosse nas nossas crianças. Começam logo a ficar com o nariz congestionado, com muita ranhoca (corrimento nasal), febre baixa, tosse, perda de apetite, irritabilidade e dificuldade em dormir. Qual a mãe, pai ou outro educador que não reconhece o desafio que é cuidar de uma criança doente? A natureza delas é de felicidade, alegria e brincadeira...de repente sentem-se mal apresentando alguma dificuldade em compreender claramente aquilo que estão a sentir, como tal, o nosso papel é orientá-las e ajuda-las a sentirem-se o melhor possível no menor espaço de tempo.

Como sou a favor da posição da American Academy of Pediatrics a qual desaconselha dar medicamentos para a tosse e constipações a crianças menores de 6 anos devido aos potenciais efeitos colaterais desses medicamentos, opto, sempre que poss…

Bolo de Cenoura [sem açúcar e sem glúten]

Andava com vontade de comer um bolo de nozes, mas não encontrava nenhuma receita que me desse água na boca, então fui para a cozinha fazer experiências com base numa diversidade imensa de receitas que fui vendo...adaptei, adaptei...e adaptei e saiu tudo menos um bolo de nozes (rsrsrsss)...mas ficou delicioso na mesma (vá lá...uffa!!)
Ora aqui vai a receita para quem quiser aventurar-se:
Vais precisar de:
- 2 chávenas de farinha de trigo sarraceno - 3 colheres de chá de fermento - 5 colheres de chá de canela em pó - 5 cenouras raladas - 1/2 chávena de coco ralado - 1/2 chávena de nozes raladas - 300g de tâmaras trituradas - 1/2 chávena de bebida vegetal (usei de arroz e soja do aldi) - 2 colheres café de baunilha

Pré-aquece o forno a 180ºC

Mistura todos os secos/sólidos e depois vai adicionando o liquido.
Bate tudo muito bem e leva ao forno cerca de 50minutos (depende de cada forno).

Eu costumo usar formas de silicone para não ter de adicionar gordura, fica a dica.

Bom apetite!!


Questionas-te se a Vitamina D é prejudicial sem a vitamina K?

Nos últimos tempos muito se tem falado sobre o possível prejuízo que a ingestão de vitamina D pode ter na ausência da vitamina K, mas as alegações científicas ainda não são muito consistentes. Como as pessoas que recorrem à minha consulta de naturopatia sabem, eu não sou muito apologista da suplementação nutricional. Existem casos em que ela é realmente necessária, existem outros casos em que recorrer a suplementação nutricional numa fase inicial pode ajudar o paciente a recuperar mais rápido, mas na maioria dos casos, recorrendo aos alimentos, ou seja, aos nossos suplementos “in vivo” é mais do que suficiente para se obter bons resultados terapêuticos. Dito isto, já podem antever que a minha opinião acerca do consumo de vitamina K sob a forma de suplemento não é muito abonatória, mas lá está...cada caso é um caso e há que se analisar individualmente a condição clinica da pessoa que procura ajuda.
Como todos sabemos, as vitaminas D e K são vitaminas lipossolúveis, ou seja, solúveis e…