Avançar para o conteúdo principal

Para formar cérebros saudáveis, as crianças precisam de comida saudável


Uma dieta rica em nutrientes é essencial para as crianças desenvolverem de forma excelente as funcionalidades do cérebro. Um estudo recente publicado no Journal of Epidemiology and Community Health seguiu os padrões alimentares de quase 4000 crianças do nascimento até aos 8 anos de idade.
O estudo concluiu que as crianças que tinham uma alimentação rica em nutrientes, cheia de frutas e vegetais tinham uma pontuação superior na escala de QI ao atingirem os 8 anos de idade, quando comparados com crianças que tinham uma alimentação baseada em alimentos processados, gorduras e açúcar.1 Os alimentos que as crianças ingeriram teve um efeito dramático a longo prazo na função cerebral.
Considerando que o crescimento cerebral é mais rápido nos primeiros anos de vida, e continua a desenvolver-se durante a adolescência2, é importante que as crianças de todas as idades consumam alimentos ricos em nutrientes para assegurar o desenvolvimento adequado do cérebro.
Mães a amamentar que consumam alimentos ricos em nutrientes, passam esses nutrientes para os seus filhos, melhorando o desenvolvimento cognitivo das crianças.
As crianças que continuam a ser amamentadas, após os 12 meses, têm um QI mais elevado do que as crianças que são alimentadas à base de leite artificial.3 Se a maior proporção da alimentação da criança for leite materno também está correlacionado com um maior volume do cérebro na adolescência.4 Isto deve-se em parte, ao teor de DHA do leite materno, uma vez que o DHA é um importante componente das membranas celulares do cérebro. O leite materno, não é apenas uma importante fonte de DHA, mas também fornece muitos outros nutrientes essenciais para o desenvolvimento do cérebro, como na promoção da saúde do sistema imunitário e respiratório e no suporte da saúde geral das crianças.5-7 
Com a introdução dos alimentos sólidos, um maior consumo de frutas e vegetais está associado a um QI mais elevado e melhores aptidões de memória quando as crianças atingem os 4 anos de idade.8  Em crianças em idade escolar, as deficiências vitamínicas e minerais, assim como um aumento na ingestão de colesterol está associado a uma diminuição de inteligência e a uma performance académica pobre.9-10

O cérebro usa a maior parte do oxigénio e produz mais energia do que qualquer parte do corpo, e portanto, é altamente suscetível ao stress oxidativo. O stress oxidativo é inflamação causada por radicais livres descontrolados.
Os radicais livres podem propagar-se pela célula danificando-a e eventualmente levar à morte desta. As células têm as suas próprias defesas de enzimas antioxidantes para processar os radicais livres, mas não são 100% eficazes, assim devemos consumir alimentos ou suplementos ricos em antioxidantes para ajudar a processar o resto.11 
A opressão das defesas antioxidantes do cérebro é um dos principais mecanismos de envelhecimento cerebral, e que tem sido associado às doenças neurodegenerativas como a doença de Parkinson e Alzheimer.12-13  Assim, uma dieta saudável rica em antioxidantes é especialmente benéfica para o cérebro e está provavelmente envolvida na associação entre o consumo de alimentos vegetais e pontuação mais elevada do QI.

Fontes:

1Northstone K, Joinson C, Emmett P, Ness A, Paus T. Are dietary patterns in childhood associated with IQ at 8 years of age? A population-based cohort study. J Epidemiol Community Health. 2011 Feb 7. [Epub ahead of print] PubMed PMID: 21300993.
2Porter JN, Collins PF, Muetzel RL, Lim KO, Luciana M. Associations between cortical thickness and verbal fluency in childhood, adolescence, and young adulthood. Neuroimage. 2011 Jan 19. [Epub ahead of print] PubMed PMID: 21255662.
3Mortensen EL, Michaelsen KF, Sanders SA, Reinisch JM. The association between duration of breastfeeding and adult intelligence. JAMA. 2002 May 8;287(18):2365-71.
4 Isaacs EB, Fischl BR, Quinn BT, et al. Impact of breast milk on intelligence quotient, brain size, and white matter development. Pediatr Res. 2010 Apr;67(4):357-62.

           5 Ladomenou F, Moschandreas J, Kafatos A, et al. Protective effect of exclusive breastfeeding against infections during infancy: a prospective study. Arch Dis Child. 2010 Dec;95(12):1004-8.
6Katzen-Luchenta J. The declaration of nutrition, health, and intelligence for the child-to-be. Nutr Health. 2007;19(1-2):85-102.
7University of Texas Health Science Center at Houston (2010, November 1). Breast milk study furthers understanding of critical ingredients. ScienceDaily. Retrieved February 21, 2011, from http://www.sciencedaily.com­ /releases/2010/10/101027145849.htm
8Gale CR, Martyn CN, Marriott LD, et al. Dietary patterns in infancy and cognitive and neuropsychological function in childhood.  J Child Psychol Psychiatry. 2009 Jul;50(7):816-23.
9Schoenthaler SJ, Bier ID, Young K, Nichols D, Jansenns S. The effect of vitamin-mineral supplementation on the intelligence of American schoolchildren: a randomized, double-blind placebo-controlled trial. J Altern Complement Med. 2000 Feb;6(1):19-29. PubMed PMID: 10706232.
10Zhang J, Hebert JR, Muldoon MF. Dietary fat intake is associated with psychosocial and cognitive functioning of school-aged children in the United States. J Nutr. 2005 Aug;135(8):1967-73.
11Kidd, Parris M. "Neurodegeneration from Mitochondrial Insufficiency: Nutrients, Stem Cells, Growth Factors, and Prospects for Brain Rebuilding Using Integrative Management." Alternative Medicine Review 10 (2005): 268-293.
12Aliev G, Smith MA, Seyidova D, et al. The role of oxidative stress in the pathophysiology of cerebrovascular lesions in Alzheimer’s Disease. Brain Pathol 2002;12:21-35.
13Barja G. Free radicals and aging. Trends Neurosci 2004;27:595-600.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

O que deves saber para agilizar as constipações e a tosse nos bebés.

A cada ano, centenas de bebés e crianças sofrem de constipações e tosse, principalmente devido ao seu sistema imunitário ainda imaturo.

É muito fácil identificarmos os sintomas de constipação e tosse nas nossas crianças. Começam logo a ficar com o nariz congestionado, com muita ranhoca (corrimento nasal), febre baixa, tosse, perda de apetite, irritabilidade e dificuldade em dormir. Qual a mãe, pai ou outro educador que não reconhece o desafio que é cuidar de uma criança doente? A natureza delas é de felicidade, alegria e brincadeira...de repente sentem-se mal apresentando alguma dificuldade em compreender claramente aquilo que estão a sentir, como tal, o nosso papel é orientá-las e ajuda-las a sentirem-se o melhor possível no menor espaço de tempo.

Como sou a favor da posição da American Academy of Pediatrics a qual desaconselha dar medicamentos para a tosse e constipações a crianças menores de 6 anos devido aos potenciais efeitos colaterais desses medicamentos, opto, sempre que poss…

Bolo de Cenoura [sem açúcar e sem glúten]

Andava com vontade de comer um bolo de nozes, mas não encontrava nenhuma receita que me desse água na boca, então fui para a cozinha fazer experiências com base numa diversidade imensa de receitas que fui vendo...adaptei, adaptei...e adaptei e saiu tudo menos um bolo de nozes (rsrsrsss)...mas ficou delicioso na mesma (vá lá...uffa!!)
Ora aqui vai a receita para quem quiser aventurar-se:
Vais precisar de:
- 2 chávenas de farinha de trigo sarraceno - 3 colheres de chá de fermento - 5 colheres de chá de canela em pó - 5 cenouras raladas - 1/2 chávena de coco ralado - 1/2 chávena de nozes raladas - 300g de tâmaras trituradas - 1/2 chávena de bebida vegetal (usei de arroz e soja do aldi) - 2 colheres café de baunilha

Pré-aquece o forno a 180ºC

Mistura todos os secos/sólidos e depois vai adicionando o liquido.
Bate tudo muito bem e leva ao forno cerca de 50minutos (depende de cada forno).

Eu costumo usar formas de silicone para não ter de adicionar gordura, fica a dica.

Bom apetite!!


Questionas-te se a Vitamina D é prejudicial sem a vitamina K?

Nos últimos tempos muito se tem falado sobre o possível prejuízo que a ingestão de vitamina D pode ter na ausência da vitamina K, mas as alegações científicas ainda não são muito consistentes. Como as pessoas que recorrem à minha consulta de naturopatia sabem, eu não sou muito apologista da suplementação nutricional. Existem casos em que ela é realmente necessária, existem outros casos em que recorrer a suplementação nutricional numa fase inicial pode ajudar o paciente a recuperar mais rápido, mas na maioria dos casos, recorrendo aos alimentos, ou seja, aos nossos suplementos “in vivo” é mais do que suficiente para se obter bons resultados terapêuticos. Dito isto, já podem antever que a minha opinião acerca do consumo de vitamina K sob a forma de suplemento não é muito abonatória, mas lá está...cada caso é um caso e há que se analisar individualmente a condição clinica da pessoa que procura ajuda.
Como todos sabemos, as vitaminas D e K são vitaminas lipossolúveis, ou seja, solúveis e…