Avançar para o conteúdo principal

Sabe o que é a Leucocitose Digestiva?

Quando temos uma infecção,  o nosso corpo aumenta a quantidade de glóbulos brancos (leucocitose) para que estes nos defendam contra os “invasores”. Agora, quem diria que o mesmo processo ocorre após a ingestão de alimentos cozinhados.

Os níveis normais de leucócitos (glóbulos brancos) no sangue, são de 6.000-8.000 por milímetro cubito, ao comer um alimento cozinhado, no prazo de 10 minutos, os níveis sobem para 10.000, e após 30 minutos para 30.000, voltando ao normal ao fim de 1 hora e meia. A este processo chama-se Leucocitose digestiva, ou seja, é o aumento dos leucócitos no sangue (células de defesa) após a ingestão de alimentos cozidos/cozinhados. 

Quando cozinhamos um alimentos as suas enzimas são destruídas e as suas propriedades alteradas. Ao ingerirmos esse alimento "alterado" o corpo intrepreta-o como um agente invasor, e, por isso, prepara-se para o combate. 

Já se questionaram o porquê de necessitarmos de fazer análises em jejum?…o motivo é exactamente esse, para que, caso haja leucocitose, esta não seja causada por alimentos, mas sim o resultado de alguma infecção/inflamação.

Em 1846, Donders, um médico de renome na sua época, observou pela primeira vez um aumento do número de leucócitos no sangue depois de uma refeição cozinhada.

Esta observação foi confirmada em 1859, por Rudolf Virchow, um patologista alemão, que deu a este fenómeno o nome de “leucocitose fisiológica-digestiva”. Ele concluiu que o aumento do número de glóbulos brancos depois da refeição era um fenómeno fisiológico normal.

Entretanto, em 1930 o investigador Dr. Paul Kuschakoff observou, que a ingestão de vegetais e frutos crus não levava a um aumento dos glóbulos brancos no sangue, isto é, não se apresentava a reacção inflamatória antigamente considerada normal, se os alimentos fossem consumidos crus. 
Kuschakoff comprovou ainda que esta reacção também não se produz, quando a comida cozida se segue à crua. 
Ele observou que se pelo menos 10% dos alimentos forem consumidos crus e imediatamente ANTES dos cozidos, evita-se esta reacção inflamatória. 
Kuschakoff também observou que os alimentos processados provocam o mesmo tipo de reacção inflamatória. Isso significa que alimentos como o leite, os lacticínios, os queijos, o pão, os embutidos, o açúcar e as farinhas brancas, entre outros, devem ser evitados porque geram uma reacção negativa por parte do nosso sistema imunitário! No entanto, Kouchakoff observa que esta reacção apenas ocorre quando se ingerem alimentos cozidos ou processados, e fez a seguinte conclusão:

"Parece que se pode tirar do conjunto das nossas experiências e observações a seguinte conclusão: 
A modificação da fórmula sanguinea que se observa depois de cada refeição e que era considerado, desde Virchow e até ao presente como um fenómeno fisiológico, deve ser considerado em realidade como um fenómeno patológico. Esta leucocitose digestiva é uma prova que a comida geralmente absorvida pelo homem não pode ser normalmente assimilada e que este aumento do número de glóbulos brancos e a modificação da formula leucocitária não são outra coisa que a mobilização dos leucócitos para a defesa do organismo contra um elemento estranho. Ou seja, o regime ordinário sobrecarrega o organismo de elementos em excesso no qual ele mantém somente o que é útil e necessário; é-lhe imposto um trabalho de eliminação que usa as suas reservas biológicas e traduz-se, em particular, por um desperdício de energia."


A experiência mostra-nos que os alimentos cozinhados actuam no nosso corpo como um “invasor”, no entanto, quando comemos frutas e legumes crus esse mesmo aumento dos glóbulos brancos não acorre, ou seja, o corpo não os interpreta como invasores. 

As enzimas são os catalisadores de todas as reacções químicas do organismo. Sem elas, não há divisão celular, funcionamento do sistema imunitário, produção de energia nem actividade cerebral. 

Cozinhar a nossa comida destrói as enzimas, deixando ao organismo todo o trabalho "pós-guerra", não sendo de admirar a sensação de cansaço e sonolência que a maioria de nós sente após uma refeição cozida. 

Habituarmo-nos a substituir alimentos cozidos por crus e começar as refeições com uma grande salada ou mesmo um sumo de vegetais, é um grande passo para a saúde do sistema digestivo e imunitário!

Sabemos, claro que mudar os nossos hábitos alimentares é das tarefas mais dificeis que temos pela frente, pois as possibilidades são imensas e facilmente disponiveis, no entanto, enquado se estuda as alterações passiveis de se realizar pode sempre optar por começar a refeição com alimentos crús e depois passar aos cozidos, pois se o fizermos por essa ordem a reação imunitária não ocorre.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

O que deves saber para agilizar as constipações e a tosse nos bebés.

A cada ano, centenas de bebés e crianças sofrem de constipações e tosse, principalmente devido ao seu sistema imunitário ainda imaturo.

É muito fácil identificarmos os sintomas de constipação e tosse nas nossas crianças. Começam logo a ficar com o nariz congestionado, com muita ranhoca (corrimento nasal), febre baixa, tosse, perda de apetite, irritabilidade e dificuldade em dormir. Qual a mãe, pai ou outro educador que não reconhece o desafio que é cuidar de uma criança doente? A natureza delas é de felicidade, alegria e brincadeira...de repente sentem-se mal apresentando alguma dificuldade em compreender claramente aquilo que estão a sentir, como tal, o nosso papel é orientá-las e ajuda-las a sentirem-se o melhor possível no menor espaço de tempo.

Como sou a favor da posição da American Academy of Pediatrics a qual desaconselha dar medicamentos para a tosse e constipações a crianças menores de 6 anos devido aos potenciais efeitos colaterais desses medicamentos, opto, sempre que poss…

Bolo de Cenoura [sem açúcar e sem glúten]

Andava com vontade de comer um bolo de nozes, mas não encontrava nenhuma receita que me desse água na boca, então fui para a cozinha fazer experiências com base numa diversidade imensa de receitas que fui vendo...adaptei, adaptei...e adaptei e saiu tudo menos um bolo de nozes (rsrsrsss)...mas ficou delicioso na mesma (vá lá...uffa!!)
Ora aqui vai a receita para quem quiser aventurar-se:
Vais precisar de:
- 2 chávenas de farinha de trigo sarraceno - 3 colheres de chá de fermento - 5 colheres de chá de canela em pó - 5 cenouras raladas - 1/2 chávena de coco ralado - 1/2 chávena de nozes raladas - 300g de tâmaras trituradas - 1/2 chávena de bebida vegetal (usei de arroz e soja do aldi) - 2 colheres café de baunilha

Pré-aquece o forno a 180ºC

Mistura todos os secos/sólidos e depois vai adicionando o liquido.
Bate tudo muito bem e leva ao forno cerca de 50minutos (depende de cada forno).

Eu costumo usar formas de silicone para não ter de adicionar gordura, fica a dica.

Bom apetite!!


Questionas-te se a Vitamina D é prejudicial sem a vitamina K?

Nos últimos tempos muito se tem falado sobre o possível prejuízo que a ingestão de vitamina D pode ter na ausência da vitamina K, mas as alegações científicas ainda não são muito consistentes. Como as pessoas que recorrem à minha consulta de naturopatia sabem, eu não sou muito apologista da suplementação nutricional. Existem casos em que ela é realmente necessária, existem outros casos em que recorrer a suplementação nutricional numa fase inicial pode ajudar o paciente a recuperar mais rápido, mas na maioria dos casos, recorrendo aos alimentos, ou seja, aos nossos suplementos “in vivo” é mais do que suficiente para se obter bons resultados terapêuticos. Dito isto, já podem antever que a minha opinião acerca do consumo de vitamina K sob a forma de suplemento não é muito abonatória, mas lá está...cada caso é um caso e há que se analisar individualmente a condição clinica da pessoa que procura ajuda.
Como todos sabemos, as vitaminas D e K são vitaminas lipossolúveis, ou seja, solúveis e…