Avançar para o conteúdo principal

Sabes o que o Gengibre pode fazer às tuas dores musculares?

Quando me encontrava ainda no primeiro ano de Naturopatia foi-me apresentado os maravilhosos efeitos medicinais do gengibre...a capacidade dos seus princípios activos auxiliarem no tratamento de tantas e tão diversas patologias deixou-me de boca aberta. Lembro-me de na altura (já após a recuperação da doença) ter pensado: Porque raio os médicos não me disseram nada?!? Hoje já sei a resposta...porque não sabiam!! O que é certo é que nunca é tarde para aprender e só é ignorante quem não procura soluções...A raiz do gengibre tem sido utilizada empiricamente há imenso tempo (e agora também com base em evidências científicas) para tratar diversos problemas de saúde, incluindo doenças gástricas e artrites. Tais são os seus benefícios que cada vez mais a ciência se dedica a estudar os seus princípios activos.

O Gengibre, além de muitos outros benefícios, exerce um efeito calmante sobre os músculos doridos e dores nas costas. (já experimentaram as famosas comprensas de gengibre? qualquer dia falo-vos nisso...)

Um estudo de 2010 publicado no The Journal of Pain, constatou que doses diárias de gengibre são eficazes para aliviar a dor muscular após o exercício.

Os investigadores seguiram 74 estudantes que realizaram 18 exercícios diários durante 11 dias consecutivos que foram previamente estipulados, enquanto ingeriam o gengibre. Os alunos foram divididos em três grupos. Cada grupo recebeu ou gengibre cru, gengibre fervido ou placebo.

Ambos os grupos a ingerir gengibre, independentemente da forma como o fizeram, apresentaram benefícios semelhantes na redução do nível da dor muscular de 23 a 25 por cento.

Os autores observaram que, embora o seu efeito analgésico não tenha ainda sido amplamente estudado, o gengibre apresenta ter propriedades anti-inflamatórias semelhantes às drogas anti-inflamatórias não esteroides, sem efeitos colaterais...As maravilhas da natureza!!


Referências:

- http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/16117603
- http://www.jpain.org/article/S1526-5900%2809%2900915-8/abstract

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Bolo de Cenoura [sem açúcar e sem glúten]

Andava com vontade de comer um bolo de nozes, mas não encontrava nenhuma receita que me desse água na boca, então fui para a cozinha fazer experiências com base numa diversidade imensa de receitas que fui vendo...adaptei, adaptei...e adaptei e saiu tudo menos um bolo de nozes (rsrsrsss)...mas ficou delicioso na mesma (vá lá...uffa!!)
Ora aqui vai a receita para quem quiser aventurar-se:
Vais precisar de:
- 2 chávenas de farinha de trigo sarraceno - 3 colheres de chá de fermento - 5 colheres de chá de canela em pó - 5 cenouras raladas - 1/2 chávena de coco ralado - 1/2 chávena de nozes raladas - 300g de tâmaras trituradas - 1/2 chávena de bebida vegetal (usei de arroz e soja do aldi) - 2 colheres café de baunilha

Pré-aquece o forno a 180ºC

Mistura todos os secos/sólidos e depois vai adicionando o liquido.
Bate tudo muito bem e leva ao forno cerca de 50minutos (depende de cada forno).

Eu costumo usar formas de silicone para não ter de adicionar gordura, fica a dica.

Bom apetite!!


Questionas-te se a Vitamina D é prejudicial sem a vitamina K?

Nos últimos tempos muito se tem falado sobre o possível prejuízo que a ingestão de vitamina D pode ter na ausência da vitamina K, mas as alegações científicas ainda não são muito consistentes. Como as pessoas que recorrem à minha consulta de naturopatia sabem, eu não sou muito apologista da suplementação nutricional. Existem casos em que ela é realmente necessária, existem outros casos em que recorrer a suplementação nutricional numa fase inicial pode ajudar o paciente a recuperar mais rápido, mas na maioria dos casos, recorrendo aos alimentos, ou seja, aos nossos suplementos “in vivo” é mais do que suficiente para se obter bons resultados terapêuticos. Dito isto, já podem antever que a minha opinião acerca do consumo de vitamina K sob a forma de suplemento não é muito abonatória, mas lá está...cada caso é um caso e há que se analisar individualmente a condição clinica da pessoa que procura ajuda.
Como todos sabemos, as vitaminas D e K são vitaminas lipossolúveis, ou seja, solúveis e…

O Mito da Proteína Combinada

Todos os nutrientes vêm do sol ou do solo. Os minerais provêm da terra e as vitaminas das plantas e dos microrganismos que crescem a partir deles.
Dito isto, volta a eterna questão. Onde posso obter a proteína? A proteína é composta por aminoácidos e entre eles existem 20 aminoácidos essenciais, o que significa que o nosso corpo não os consegue produzir, sendo essencial obtê-los a partir da alimentação. Mas os outros animais também não os produzem.
As proteínas provenientes das plantas (e micróbios) têm todos os aminoácidos essenciais.
O conceito de que a proteína vegetal é inferior à proteína animal surgiu devido a estudos realizados em ratos há mais de um século atrás. Os cientistas descobriram que os ratos bebés não tinha um crescimento adequado quando alimentados à base de plantas. Mas os ratos bebés também não crescem bem se forem alimentados com leite materno humano e porquê? Porque o leite do rato tem 10 vezes mais proteína do que o leite humano e porque os ratos têm um crescim…