Avançar para o conteúdo principal

Plantas Medicinais na Gravidez e Parto

Como mãe de um lindo rapaz, sei bem o que são os desconfortos que nos podem assolar a gravidez. Como naturopata recorro às plantas medicinais para ajudar as minhas grávidas a passar de forma mais suave pelos tumultos hormonais que ocorrem num período tão belo que é a formação de uma nova vida dentro de nós.


As grávidas geralmente experiênciam pequenos sintomas, como náuseas, constipações e insónias nos quais a fitoterapia pode ajudar de forma suave e segura.


No geral, a maioria das plantas medicinais, tradicionalmente usadas para suportar a gravidez, são seguras quando usadas moderadamente. Existem poucos relatórios de efeitos adversos em grávidas que utilizam plantas medicinais e os que existem têm sido relacionados a plantas que não são consideradas seguras durante a gravidez, ou então devido a produtos que foram contaminados com plantas perigosas ou pior, com aditivos farmacêuticos que é o que tem acontecido com bastante frequência nos produtos importados da China e da Índia.


A abordagem mais segura é evitar o uso de plantas medicinais durante o primeiro trimestre da gravidez. Quando necessário, utiliza-se apenas as plantas em que existe a certeza de que são seguras durante este primeiro trimestre. Lembra-te que existem muitas plantas medicinais cuja utilização durante a gravidez não é definitivamente segura para o bebé, por isso não vás na cantilena de que o que é natural não faz mal, pois ocorrem igualmente reacções químicas no corpo quando ingerimos plantas medicinais.

No entanto, existem plantas conhecidas por serem seguras quando consumidas de forma moderada entre outras temos, a folha de framboesa vermelha, a hortelã, a camomila, a erva-cidreira e as urtigas. Despertei-te a curiosidade? Então vamos avançar...


Plantas Medicinais consideradas seguras durante a gravidez:


Folhas de framboesa (Rubus idaeus) para um parto mais suave
Fonte: wikimedia


Esta planta é tradicionalmente utilizada para apoiar uma gravidez saudável, tonificando o útero para ajudar a mulher a se preparar para o nascimento do seu bebé. Alguns estudos têm mostrado que pode ajudar a acelerar o trabalho de parto e a reduzir as complicações e intervenções associadas ao nascimento.

Nos estados unidos, 98 enfermeiras afirmaram aconselhar a utilização de plantas medicinais para estimular o parto, entre as quais, as folhas de framboesa (Journal of Nurse-Midwifery, 1999).


Gengibre (Zingiber officinalis) para os enjoos matinais
O Gengibre é uma raiz milagrosa com comprovação científica para o alivio dos enjoos de forma eficaz, ao mesmo tempo que apresenta um perfil de segurança bastante elevado.
Existem diversas formas de utilizares o gengibre durante a gravidez. Podes ingeri-lo na forma de decocções, em cápsulas e em tintura.

Nota: Vómitos persistentes ou frequentes na gravidez podem estar associados a alguma patologia. Caso já dure há muito tempo consulta o profissional que te acompanha.


Echinacea (Echinacea spp) para as constipações
A Echinacea reduz a duração das constipações e também previne a sua recorrência. Pode ser usada, quer durante uma constipação ou como preventiva. Na verdade, não ajuda a reduzir os sintomas da constipação apenas a sua duração, mas o nosso amigo gengibre faz milagres no que respeita a esses sintomas! Ele reduz os calafrios, a tosse e as dores musculares quando tomado como um chá quente com uma colher de sopa de gengibre fresco ralado por chávena de água a ferver, 1-3 chávenas por dia.

A melhor forma de utilizares a Echinacea é sob a forma de tintura, que contem uma pequena quantidade de álcool, mas esta pequena quantidade não é prejudicial e podes ainda assim reduzi-la ao adicionares a um pouco de água quente fazendo com que o álcool evapore. Dose recomendada 5 mL de tintura (mais ou menos 1 colher de chá) até 2 vezes ao dia.


Oxicoco ou Arando Vermelho (Vaccinium Macrocarpon) para prevenção de infecções urinárias
As infecções urinárias são muito comuns durante a gravidez. Embora o arando vermelho não deva ser utilizado para substituir os cuidados médicos apropriados, os estudos têm demonstrado que tem a capacidade de impedir infecções do trato urinário. Apesar dos antibióticos serem por vezes necessários, as pesquisas mais recente mostram que a exposição aos antibióticos durante a gravidez pode ter consequências a longo prazo nos bebés, incluindo no desenvolvimento de asma e doença inflamatória do intestino, por isso, atenção ao consumo excessivo. Sugestão: Quando um profissional de saúde te quiser prescrever um antibiótico, pergunta primeiro se a infecção (seja do que for) que tens, se é de origem viral ou bacteriana, porque infelizmente ainda existem muitas situações onde se prescrevem antibióticos em situações que não são de todo recomendáveis.

O arando vermelho pode ser usado na forma de sumo de arando concentrado (sem açúcar) ou sumo fresco feito em casa, num espremedor usando ½ chávena de arandos vermelhos congelados e 2 maçãs.

Nota: As infecções urinárias não tratada durante a gravidez podem causar problemas sérios;


Camomila (Matricaria recutita) para dormires melhor
A gravidez é muitas vezes um momento de sono perturbado, de sonhos vívidos ou do simples desconforto de ter a barriga a crescer tornando-se difícil encontrar uma posição para dormir. Uma das plantas favoritas das grávidas para delicadamente e com segurança promover o relaxamento e o sono é a camomila.

Geralmente recomendo 1-2 copos ao fim da tarde. Para fazeres a infusão de camomila ferves 250ml de água e depois adicionas uma colher de sopa da planta. Tapas durante 10 minutos, coas e bebes.



Comentários

Mensagens populares deste blogue

O que deves saber para agilizar as constipações e a tosse nos bebés.

A cada ano, centenas de bebés e crianças sofrem de constipações e tosse, principalmente devido ao seu sistema imunitário ainda imaturo.

É muito fácil identificarmos os sintomas de constipação e tosse nas nossas crianças. Começam logo a ficar com o nariz congestionado, com muita ranhoca (corrimento nasal), febre baixa, tosse, perda de apetite, irritabilidade e dificuldade em dormir. Qual a mãe, pai ou outro educador que não reconhece o desafio que é cuidar de uma criança doente? A natureza delas é de felicidade, alegria e brincadeira...de repente sentem-se mal apresentando alguma dificuldade em compreender claramente aquilo que estão a sentir, como tal, o nosso papel é orientá-las e ajuda-las a sentirem-se o melhor possível no menor espaço de tempo.

Como sou a favor da posição da American Academy of Pediatrics a qual desaconselha dar medicamentos para a tosse e constipações a crianças menores de 6 anos devido aos potenciais efeitos colaterais desses medicamentos, opto, sempre que poss…

Bolo de Cenoura [sem açúcar e sem glúten]

Andava com vontade de comer um bolo de nozes, mas não encontrava nenhuma receita que me desse água na boca, então fui para a cozinha fazer experiências com base numa diversidade imensa de receitas que fui vendo...adaptei, adaptei...e adaptei e saiu tudo menos um bolo de nozes (rsrsrsss)...mas ficou delicioso na mesma (vá lá...uffa!!)
Ora aqui vai a receita para quem quiser aventurar-se:
Vais precisar de:
- 2 chávenas de farinha de trigo sarraceno - 3 colheres de chá de fermento - 5 colheres de chá de canela em pó - 5 cenouras raladas - 1/2 chávena de coco ralado - 1/2 chávena de nozes raladas - 300g de tâmaras trituradas - 1/2 chávena de bebida vegetal (usei de arroz e soja do aldi) - 2 colheres café de baunilha

Pré-aquece o forno a 180ºC

Mistura todos os secos/sólidos e depois vai adicionando o liquido.
Bate tudo muito bem e leva ao forno cerca de 50minutos (depende de cada forno).

Eu costumo usar formas de silicone para não ter de adicionar gordura, fica a dica.

Bom apetite!!


Questionas-te se a Vitamina D é prejudicial sem a vitamina K?

Nos últimos tempos muito se tem falado sobre o possível prejuízo que a ingestão de vitamina D pode ter na ausência da vitamina K, mas as alegações científicas ainda não são muito consistentes. Como as pessoas que recorrem à minha consulta de naturopatia sabem, eu não sou muito apologista da suplementação nutricional. Existem casos em que ela é realmente necessária, existem outros casos em que recorrer a suplementação nutricional numa fase inicial pode ajudar o paciente a recuperar mais rápido, mas na maioria dos casos, recorrendo aos alimentos, ou seja, aos nossos suplementos “in vivo” é mais do que suficiente para se obter bons resultados terapêuticos. Dito isto, já podem antever que a minha opinião acerca do consumo de vitamina K sob a forma de suplemento não é muito abonatória, mas lá está...cada caso é um caso e há que se analisar individualmente a condição clinica da pessoa que procura ajuda.
Como todos sabemos, as vitaminas D e K são vitaminas lipossolúveis, ou seja, solúveis e…