Avançar para o conteúdo principal

A Primeira Consulta de Naturopatia

Se está prestes a vir a uma consulta de Naturopatia, deve ter em conta que vai encontrar uma nova forma de abordar a sua saúde.
Para iniciar o seu processo regenerativo, o Naturopata vai necessitar da sua ajuda para conhecê-lo(a) e compreendê-lo(a), só desta forma será possível ajudá-lo(a) com qualidade.
É por esta razão que o Naturopata vai procurar conhecer o ambiente social, profissional, afectivo e familiar, no qual vive; questioná-lo(a) sobre as doenças que teve anteriormente e as terapias que utilizou. Por fim vai estudar a sua constituição e as suas reacções individuais, elaborando assim, o plano de tratamento.

É importante frisar que para o Naturopata cada pessoa é única, e necessita de um tratamento personalizado. Por todas estas razões antes da consulta, é útil interrogar-se a si próprio(a) sobre as seguintes situações:
  • Doenças mais importantes na família (pais, irmãos, irmãs);
  • Doenças, operações durante a infância, a idade adulta;
  • Como foi o decorrer das gravidezes e dos partos;
  • Qual o tipo habitual de alimentação (açúcar, sal, condimentos, bebidas...) e a sua digestão;
  • Qual o ritmo de trabalho e em que ambiente o mesmo ocorre;
  • Quais as actividades de lazer (desporto, leitura, televisão,...);
  • Como decorre o seu sono;
  • Como é habitualmente o seu estado nervoso (depressão, solidão, ansiedade, medos,...)


No dia da consulta, reveja o que sente

Dores, perturbações, mal-estar..., o que os faz melhorar e, agravar (o frio, o calor, a húmidade, as mudanças de tempo, a intensidade durante o dia, a noite, depois das refeições...)
Queira também comunicar os resultados de análises, exames imagiológicos e outros que tenham efectuado. Não se esqueça também de verificar o nome dos medicamentos que está a tomar (se já lhe foram prescritos noutra consulta a que tenha recorrido) é muito importante a fim de evitar possíveis incompatibilidades.
Ter o espírito preparado para responder a estas perguntas, ajuda o seu terapeuta a compilar todos os elementos necessários para a escolha do tratamento que lhe convém. Portanto, não se surpreenda com as perguntas que lhe parecerão um pouco fora do comum, pois elas são úteis para realizar uma abordagem deste tipo.


Consultas seguintes

Se voltar para uma segunda ou terceira consulta, deve precisar com a maior franqueza se seguiu escrupulosamente a prescrição indicada, o que está melhor, o que não sofreu melhorias e todas as situações que eventualmente terão surgido em sequência do mesmo tratamento.
Se lhe foi aconselhado a consulta de qualquer outro médico especialista, comunique a opinião e as recomendações que lhe foram dadas (medicamentos prescritos e outras) e também os resultados de exames complementares de diagnóstico que tenham sido efectuados.


Comentários

Mensagens populares deste blogue

O que deves saber para agilizar as constipações e a tosse nos bebés.

A cada ano, centenas de bebés e crianças sofrem de constipações e tosse, principalmente devido ao seu sistema imunitário ainda imaturo.

É muito fácil identificarmos os sintomas de constipação e tosse nas nossas crianças. Começam logo a ficar com o nariz congestionado, com muita ranhoca (corrimento nasal), febre baixa, tosse, perda de apetite, irritabilidade e dificuldade em dormir. Qual a mãe, pai ou outro educador que não reconhece o desafio que é cuidar de uma criança doente? A natureza delas é de felicidade, alegria e brincadeira...de repente sentem-se mal apresentando alguma dificuldade em compreender claramente aquilo que estão a sentir, como tal, o nosso papel é orientá-las e ajuda-las a sentirem-se o melhor possível no menor espaço de tempo.

Como sou a favor da posição da American Academy of Pediatrics a qual desaconselha dar medicamentos para a tosse e constipações a crianças menores de 6 anos devido aos potenciais efeitos colaterais desses medicamentos, opto, sempre que poss…

Bolo de Cenoura [sem açúcar e sem glúten]

Andava com vontade de comer um bolo de nozes, mas não encontrava nenhuma receita que me desse água na boca, então fui para a cozinha fazer experiências com base numa diversidade imensa de receitas que fui vendo...adaptei, adaptei...e adaptei e saiu tudo menos um bolo de nozes (rsrsrsss)...mas ficou delicioso na mesma (vá lá...uffa!!)
Ora aqui vai a receita para quem quiser aventurar-se:
Vais precisar de:
- 2 chávenas de farinha de trigo sarraceno - 3 colheres de chá de fermento - 5 colheres de chá de canela em pó - 5 cenouras raladas - 1/2 chávena de coco ralado - 1/2 chávena de nozes raladas - 300g de tâmaras trituradas - 1/2 chávena de bebida vegetal (usei de arroz e soja do aldi) - 2 colheres café de baunilha

Pré-aquece o forno a 180ºC

Mistura todos os secos/sólidos e depois vai adicionando o liquido.
Bate tudo muito bem e leva ao forno cerca de 50minutos (depende de cada forno).

Eu costumo usar formas de silicone para não ter de adicionar gordura, fica a dica.

Bom apetite!!


Questionas-te se a Vitamina D é prejudicial sem a vitamina K?

Nos últimos tempos muito se tem falado sobre o possível prejuízo que a ingestão de vitamina D pode ter na ausência da vitamina K, mas as alegações científicas ainda não são muito consistentes. Como as pessoas que recorrem à minha consulta de naturopatia sabem, eu não sou muito apologista da suplementação nutricional. Existem casos em que ela é realmente necessária, existem outros casos em que recorrer a suplementação nutricional numa fase inicial pode ajudar o paciente a recuperar mais rápido, mas na maioria dos casos, recorrendo aos alimentos, ou seja, aos nossos suplementos “in vivo” é mais do que suficiente para se obter bons resultados terapêuticos. Dito isto, já podem antever que a minha opinião acerca do consumo de vitamina K sob a forma de suplemento não é muito abonatória, mas lá está...cada caso é um caso e há que se analisar individualmente a condição clinica da pessoa que procura ajuda.
Como todos sabemos, as vitaminas D e K são vitaminas lipossolúveis, ou seja, solúveis e…