Avançar para o conteúdo principal

O que deves saber para agilizar as constipações e a tosse nos bebés.


A cada ano, centenas de bebés e crianças sofrem de constipações e tosse, principalmente devido ao seu sistema imunitário ainda imaturo.

É muito fácil identificarmos os sintomas de constipação e tosse nas nossas crianças. Começam logo a ficar com o nariz congestionado, com muita ranhoca (corrimento nasal), febre baixa, tosse, perda de apetite, irritabilidade e dificuldade em dormir. Qual a mãe, pai ou outro educador que não reconhece o desafio que é cuidar de uma criança doente? A natureza delas é de felicidade, alegria e brincadeira...de repente sentem-se mal apresentando alguma dificuldade em compreender claramente aquilo que estão a sentir, como tal, o nosso papel é orientá-las e ajuda-las a sentirem-se o melhor possível no menor espaço de tempo.

Como sou a favor da posição da American Academy of Pediatrics a qual desaconselha dar medicamentos para a tosse e constipações a crianças menores de 6 anos devido aos potenciais efeitos colaterais desses medicamentos, opto, sempre que possível e de forma responsável, por métodos naturopáticos que facilitem o processo pelo qual o meu filho possa estar a passar.
A grande vantagem é que estes métodos tradicionais além de nutrirem a criança também lhe aliviam os sintomas e fortalecem o sistema imunitário.

No entanto, certifica-te de contactar o profissional de saúde do teu filh@ caso a febre dure mais de 3 ou 4 dias ou se os outros sintomas durarem mais de uma semana. Se o bebé tiver 3 meses ou menos e se apresentar febre deves procurar de imediato apoio profissional.

Quero apenas deixar aqui uma nota em relação à febre. A febre é um dos sinais mais evidentes de que o organismo encontrou algo desconhecido. Quando o corpo aquece há libertação de substâncias responsáveis por acelerar o metabolismo através de processos inflamatórios, que melhoram a actuação das células de defesa do organismo contra fungos, bactérias e vírus.

Funciona assim: durante as infecções, o sistema imunitário interactua com o hipotálamo. Um aumento de 1ºC corresponde a um aumento de 10% das reacções de defesa, sendo que alguns microorganismos infecciosos morrem a partir dos 38,8ºC. Logo, se suprimirmos a febre com antipiréticos como o benuron®, além de atrasarmos o processo de recuperação também estamos a desactivar os mecanismos de protecção intrínsecos. Compreendo que por vezes assusta, mas lembra-te que o medo que tens da febre foi-te transmitido de geração em geração, é quase como que uma “herança cultural”. Lembra-te também que as convulsões febris dão-se normalmente por um aumento brusco da temperatura corporal que geralmente ocorre quando se tomam antipiréticos, onde assim que passa o efeito a temperatura dispara. Aqui não devemos ser extremistas, nem oito nem oitenta, ou seja, até determinada temperatura e de acordo com aquilo que observas no teu filho, deixa que sejam as suas defesas a reagirem, claro que sempre observado por perto.



Aqui estão alguns dos remédios caseiros que uso para constipações e tosses com resultados incríveis



Limão: O limão possui propriedades antibacterianas e anti-inflamatórios que ajudam a reduzir sintomas como dor de garganta, coriza e tosse, auxiliando o organismo na luta contra gripes e constipações.
Proposta de uso: Coloca o sumo e as cascas de 4 limões com 1 colher de sopa de gengibre ralado numa panela. Cobre com água a ferver todos os ingredientes e deixa em infusão 10 minutos. Coa o líquido e dilui numa quantidade igual de água morna acrescentando mel biológico a gosto (mas sem exageros).

Dá ao teu filho a beber algumas vezes por dia. Nota: Para os bebés com menos de 1 ano, troca o mel por extracto ou folhas de Stevia para adoçar e facilitar a toma.


Caldo de legumes: O caldo de legumes quente é uma óptima opção quando estão constipadas ou com tosse. O caldo de legumes é leve, nutritivo e ajuda a aliviar o congestionamento. Os antioxidantes presentes acelerem o processo de recuperação.
Escolhe legumes biológicos que sejam doces, como a cenoura, a beterraba e a batata-doce, deixa cozer durante mais ou menos 40 minutos em lume brando, coa e serve ao teu filho 2 a 3 vezes por dia.


Laranjas: A vitamina C presente nas laranjas e noutros citrinos ajuda a aumentar a produção de
glóbulos brancos que combatem os agentes patogénicos, agilizando os sintomas, como a tosse, a dor de garganta e a coriza.
Para crianças a partir dos 2 anos podes oferecer 1 a 2 copos de sumo de laranja com cenoura diariamente e também laranjas aos pedaços para irem chupando. Para as crianças com menos de 2 anos deves diluir o sumo de laranja numa quantidade igual de água morna e dar a beber em intervalos regulares.


Mel: O mel tem propriedades antibacterianas, antioxidantes e imuno-estimulantes que ajudam a agilizar a tosse, alivia a dor de garganta e mata as bactérias que causam a infecção.
Proposta de uso: Mistura 1 colher de chá de mel biológico com 1 colher de chá de sumo de limão num copo de água morna e oferece ao teu filho a cada poucas horas para alívio da tosse seca e redução da dor no peito. Nota: Nunca dar mel a bebés com menos de 1 ano, pois contém bactérias que podem causar o botulismo infantil.


Gengibre: O Gengibre contém inúmeras propriedades medicinais destacando-se o seu efeito anti-inflamatório, antibacteriano, imuno-estimulante, antiviral e antitússico. Ao mesmo tempo é sudorífico, ou seja, induz a transpiração que por sua vez alivia a febre ligeira.
Proposta de uso: Coloca 6 chávenas de água com ½ chávena de gengibre em fatias finas e 1 pau de canela numa panela. Deixa cozinhar em lume brando durante 20 minutos e depois coa.

Adiciona mel ou umas gotas de Stevia e oferece ao teu filho várias vezes ao dia. Para os bebés menores de 1 ano, deve-se diluir o líquido em água morna antes de oferecer e não se adiciona mel.


Leite Materno: O leite materno é importante para as crianças, especialmente quando estão doentes porque fornece um equilíbrio único de nutrientes que ajuda a combater infecções e a recuperar rapidamente.


Fluidos: Certifica-te que dás ao teu filh@ muito fluidos para evitar a desidratação. Uma boa hidratação ajuda a eliminar as secreções do corpo, tornando mais fácil a expulsão dos germes e a reduzir o congestionamento.
Oferece água morna, sumo naturais de fruta/legumes, caldos e cremes de vegetais em intervalos regulares.

Dicas Adicionais


• Abre uma pequena fresta da janela do quarto do teu filho para humidificar a divisão, circular o ar e reduzir a dificuldade respiratória.

• Faz vapores com soro fisiológico para manter as vias aéreas lubrificadas.

• Eleva a cabeceira da cama com um travesseiro extra à noite para que o muco possa drenar.






Comentários

Mensagens populares deste blogue

Bolo de Cenoura [sem açúcar e sem glúten]

Andava com vontade de comer um bolo de nozes, mas não encontrava nenhuma receita que me desse água na boca, então fui para a cozinha fazer experiências com base numa diversidade imensa de receitas que fui vendo...adaptei, adaptei...e adaptei e saiu tudo menos um bolo de nozes (rsrsrsss)...mas ficou delicioso na mesma (vá lá...uffa!!)
Ora aqui vai a receita para quem quiser aventurar-se:
Vais precisar de:
- 2 chávenas de farinha de trigo sarraceno - 3 colheres de chá de fermento - 5 colheres de chá de canela em pó - 5 cenouras raladas - 1/2 chávena de coco ralado - 1/2 chávena de nozes raladas - 300g de tâmaras trituradas - 1/2 chávena de bebida vegetal (usei de arroz e soja do aldi) - 2 colheres café de baunilha

Pré-aquece o forno a 180ºC

Mistura todos os secos/sólidos e depois vai adicionando o liquido.
Bate tudo muito bem e leva ao forno cerca de 50minutos (depende de cada forno).

Eu costumo usar formas de silicone para não ter de adicionar gordura, fica a dica.

Bom apetite!!


Questionas-te se a Vitamina D é prejudicial sem a vitamina K?

Nos últimos tempos muito se tem falado sobre o possível prejuízo que a ingestão de vitamina D pode ter na ausência da vitamina K, mas as alegações científicas ainda não são muito consistentes. Como as pessoas que recorrem à minha consulta de naturopatia sabem, eu não sou muito apologista da suplementação nutricional. Existem casos em que ela é realmente necessária, existem outros casos em que recorrer a suplementação nutricional numa fase inicial pode ajudar o paciente a recuperar mais rápido, mas na maioria dos casos, recorrendo aos alimentos, ou seja, aos nossos suplementos “in vivo” é mais do que suficiente para se obter bons resultados terapêuticos. Dito isto, já podem antever que a minha opinião acerca do consumo de vitamina K sob a forma de suplemento não é muito abonatória, mas lá está...cada caso é um caso e há que se analisar individualmente a condição clinica da pessoa que procura ajuda.
Como todos sabemos, as vitaminas D e K são vitaminas lipossolúveis, ou seja, solúveis e…