Avançar para o conteúdo principal

Bebés e Crianças Vegetarianas: Será mesmo saudável?

A ciência mostra conclusivamente que uma dieta vegetariana ajuda a evitar a obesidade, as doenças cardíacas, o cancro e outras condições. Mas uma nova lei proposta na Itália argumenta que, sem produtos de origem animal, as crianças não podem crescer de forma saudável. Esta iniciativa não é nova mas desta vez ganhou mais voz nos quatro cantos do mundo (curiosamente em Itália parecem nem sequer fazer caso disso) quando uma deputada italiana achou que devia impedir os pais de fornecer uma dieta vegetariana aos filhos.

"esta lei, se aprovada, fará com que os pais que alimentem os seus filhos até aos 16 anos com uma dieta considerada "inadequada" (leia-se: vegetariana) sejam punidos com uma pena de prisão que pode ir de um a seis anos".


Será mesmo verdade? A ciência diz o contrário.

Uma dieta vegetariana bem planeada e suplementada com vitamina B12 oferece todos os nutrientes necessários em todas as fases da infância, desde o nascimento até à adolescência. As crianças que consomem dietas vegetarianas nutritivas não só crescem fortes e saudáveis, como também vêem diminuído o risco de desenvolver obesidade, colesterol elevado, hipertensão, doenças cardíacas e diabetes tipo 2.


Factos que provam que as dietas à base de plantas apoiam o crescimento saudável das crianças:

1. Os peritos confirmam que as dietas vegetarianas são seguras em todas as fases da vida: A American Dietetic Association afirma[1] que as dietas vegetarianas bem planeadas e suplementadas com vitamina B12 "são apropriadas para todas as fases do ciclo de vida, incluindo a infância e adolescência." O grupo cita evidências mostrando que as pessoas que seguem dietas vegetarianas têm menores níveis de colesterol, pressão arterial e taxas mais baixas de doença cardíaca e diabetes tipo 2 do que os não vegetarianos.

www.andjrnl.org/article/S0002-8223(09)00700-7/abstract

A Academy of Pediatrics concorda[2]: "Bem planeada, os padrões alimentares vegetarianos e veganos são saudáveis para crianças e bebés."

2. A maioria das dietas das crianças são severamente deficientes em fruta e vegetais: Não são os produtos de origem animal que estão em falta nas dietas da maioria das crianças. São as frutas, os legumes, os cereais integrais e outros alimentos que têm efeitos protectores contra os maiores assassinos do mundo, incluindo as doenças cardíacas (1ª causa de morte em Portugal).
A maioria das crianças consome em excesso gordura saturada que entope as artérias e que é encontrado principalmente nos produtos lácteos e na carne[3].

3. Muitas crianças já têm factores de risco para doenças cardíacas: Um estudo[i] recente descobriu que 40% das crianças, com idades entre 6 e os 11 anos, já têm níveis elevados de colesterol e as taxas de hipertensão arterial[ii] também são cada vez mais comuns nas crianças. Mais ainda, 1 em cada 3 crianças americanas[iii] e italianas[iv], têm excesso de peso ou são obesos, fazendo os riscos aumentarem. Cerca de 70% das crianças obesas têm um ou mais factores de risco para doença cardiovascular.
A doença cardiovascular é a principal causa de morte nos Estados Unidos e em Itália[v] (E em Portugal também), onde as doenças do coração são responsáveis ​​por 30% de todas as mortes.

No entanto, a alimentação vegetariana é praticamente isenta de colesterol e pobre em gordura saturada (quando bem estruturada). Os estudos têm demonstrado que a alimentação vegetariana pode ajudar a prevenir, reverter e travar[vi] as doenças cardíacas nos adultos. Um estudo da Cleveland Clinic lançado no ano passado mostrou que as dietas vegetarianas têm efeitos semelhantes[vii] nas crianças com excesso de peso. As crianças no grupo vegetariano reduziram os níveis de pressão arterial e colesterol, diminuíram de peso e baixaram a sensibilidade a dois biomarcadores para a doença cardiovascular.

4. Os índices de diabetes Tipo 2 estão a aumentar em todo o mundo: Entre 2000 e 2009, a prevalência de diabetes tipo 2 disparou[viii] em mais de 30% nas crianças americanas. Crianças com diabetes tipo 2 enfrentam um maior risco de complicações graves, como insuficiência renal, ataque cardíaco e acidente vascular cerebral. Se nada mudar, as projecções mostram que 1 em cada 3 crianças irá desenvolver diabetes tipo 2 em algum momento das suas vidas. A nível global, a história é semelhante. As taxas de diabetes em todo o mundo têm disparado[ix] de 108 milhões em 1980 para 422 milhões em 2014.

Mas os estudos mostram que as pessoas que consomem dietas à base de plantas têm um menor risco de desenvolver diabetes tipo 2.

Por tanto, voltando ao inicio do artigo, para se considerar crime um pai alimentar uma criança com base numa dieta vegetariana equilibrada, também se terá de penalizar todos os outros pais que têm filhos obesos, com síndrome metabólico desde tenra idade e que lhes oferecem diariamente alimentos comprovadamente nocivos para a saúde. E vou mais além...se é para penalizar os pais de crianças vegetarianas e obesas também temos que penalizar o estado por oferecer às crianças alimentos prejudicais e inibidores de muitos nutrientes nas escolas, incluindo batatas frita, doces, bolos, gelados, gelatinas, leite, bolachas e por aí fora!! Acho muito bem que penalizem os tutores das crianças quando estes não lhes oferecem as condições para que estas cresçam com saúde, tanto física como psicológica, mas que seja uma medida transversal a todos os sectores e tipos de alimentação porque sim, da mesma maneira que há crianças que consomem animais que sofrem de deficiências nutricionais também os há nos vegetarianos claro...mas o problema não passa pelo tipo de alimentação que a criança recebe e sim pelo equilibro nutricional que pode estar tanto presente como ausente em QUALQUER regime alimentar.


Artigo original: www.pcrm.org/nbBlog/four-ways-vegan-diets-can-benefit-kids


[i] http://health.usnews.com/health-news/articles/2015/03/17/kids-bad-diets-may-mean-worse-health-as-adults
[ii] http://newsroom.heart.org/news/elevated-blood-pressure-increasing-among-children-adolescents
[iii]www.heart.org/HEARTORG/HealthyLiving/HealthyKids/ChildhoodObesity/Overweight-in-Children_UCM_304054_Article.jsp#.V636YpMrLEZ
[iv] www.oecd.org/els/health-systems/obesityandtheeconomicsofpreventionfitnotfat-italykeyfacts.htm
[v] www.istat.it/en/archive/140877
[vi] www.pcrm.org/health/heart
[vii] www.pcrm.org/health/medNews/plant-based-diets-lower-risk-of-heart-disease-in
[viii] www.usatoday.com/story/news/nation/2014/05/03/diabetes-rises-in-kids/8604213
[ix] www.who.int/mediacentre/factsheets/fs312/en


[3] www.hsph.harvard.edu/nutritionsource/top-food-sources-of-saturated-fat-in-the-us


[1] www.andjrnl.org/article/S0002-8223(09)00700-7/abstract
[2] www.eatright.org/resource/food/nutrition/vegetarian-and-special-diets/feeding-vegetarian-and-vegan-infants-and-toddlers

Comentários

Mel disse…
O mais irónico de tudo (para além de falta de informação) é que esse projecto "preocupa-se" tanto que um determinado tipo de alimentação faça mal às crianças mas, ao mesmo tempo, penaliza os pais com uma pena de prisão, o que os separará, obviamente, dos filhos menores. Nutrir os filhos sem crueldade animal não pode, mas deixá-los sem pais está na boa :)

Mensagens populares deste blogue

As tâmaras e o trabalho de parto

Desde os tempos bíblicos, as tâmaras eram consideradas possuidoras de propriedades curativas profundas, mas só agora a ciência vem confirmar o que os nossos antepassados já sabiam.
Um estudo publicado no Journal of Obstetrics and Gynecology em 2011 e intitulado "O efeito do consumo das tâmaras no final da gravidez[i]", apresentou a investigação do efeito do consumo das tâmaras nos parâmetros do trabalho de parto e nos seus resultados. Ao longo de 11 meses na Jordan University of Science and Technology, dois grupos de mulheres foram incluídas num estudo prospectivo onde 69 mulheres consumiram seis tâmaras por dia durante 4 semanas antes da data prevista para o parto, contra 45 mulheres que não consumiram nenhuma. Estas mulheres tinham parâmetros semelhantes por isso não houve diferença significativa na idade gestacional, idade e paridade (o número de vezes que a mulher engravidou) entre os dois grupos.
Os resultados do estudo foram os seguintes:
• Melhoria da dilatação cervical:

Receita: Pudim de Pêra com Canela

Quando o meu filho era mais pequeno e estava a atravessar aquela fase em que simplesmente se alimentam do ar (a anorexia dos 2 anos), eu fazia-lhe esta espécie de pudim com sementes de chia que ele comia e lambia os dedos...ou seja, um êxito! Escusado será dizer que é delicioso tanto para os pequenos como para os grandes...ahhh e nutritivo!!
- A tâmara é rica em proteínas, minerais e vitaminas principalmente a vitamina C. A grande vantagem é que além de ser uma verdadeira doçura, ela é rica em fibras, potássio, cálcio e ferro sendo excelente tanto para crianças como adultos.

- As pêras são ricas em fibras, vitamina A e C com importantes ações antioxidantes.
Também é uma excelente fonte de minerais como o fósforo, cálcio e ainda contém algum ferro.

- A canela auxilia no tratamento de diversas doenças. A canela estimula a salivação e os sucos gástricos, facilitando a digestão como tal, ajuda em casos de aerofagia, digestões difíceis a acidez estomacal.


Ingredientes

- 7 colheres de sopa de …

O que deves saber para agilizar as constipações e a tosse nos bebés.

A cada ano, centenas de bebés e crianças sofrem de constipações e tosse, principalmente devido ao seu sistema imunitário ainda imaturo.

É muito fácil identificarmos os sintomas de constipação e tosse nas nossas crianças. Começam logo a ficar com o nariz congestionado, com muita ranhoca (corrimento nasal), febre baixa, tosse, perda de apetite, irritabilidade e dificuldade em dormir. Qual a mãe, pai ou outro educador que não reconhece o desafio que é cuidar de uma criança doente? A natureza delas é de felicidade, alegria e brincadeira...de repente sentem-se mal apresentando alguma dificuldade em compreender claramente aquilo que estão a sentir, como tal, o nosso papel é orientá-las e ajuda-las a sentirem-se o melhor possível no menor espaço de tempo.

Como sou a favor da posição da American Academy of Pediatrics a qual desaconselha dar medicamentos para a tosse e constipações a crianças menores de 6 anos devido aos potenciais efeitos colaterais desses medicamentos, opto, sempre que poss…