Avançar para o conteúdo principal

Stevia rebaudiana - O Açúcar da Natureza

A Stevia (ou açucar da natureza) é uma planta ou melhor, um pequeno arbusto que pertence à família Asteraceae e é nativa da América do Sul. As suas folhas são compridas e ovais, com orlas serrilhadas e produz pequenas flores brancas.

A Stevia é um adoçante natural não calórico, contém edulcorantes naturais e a sua folha seca é 10 a 20 vezes mais doce que o açúcar de cana. A extracção do steviosídeo (principio activo da stevia) dá origem a um pó branco que é até 300 vezes mais doce que o açúcar comum.

Além super doce, esta maravilhosa planta tem diversas outras propriedades medicinais, sendo também tradicionalmente utilizada como hipoglicemiante, hipotensiva, diurética e cardiotónica. 
As folhas são utilizadas em casos de diabetes, na obesidade, nas cáries dentárias, na hipertensão, em casos de extrema fadiga, de dependência do açúcar e de infecções.

A Stevia também é usada a nível exterior para manter a pele e os cabelos saudáveis, sendo utilizada commumente para tratar feridas, picadas de insectos, manchas solares, amenizar eczemas, acne, psoríase e outros problemas de pele bastando juntar a sua infusão com argila e aplicar na zona a tratar.


Padrões de Segurança da Stevia:
A segurança da Stevia para uso humano foi estabelecida através de estudos rigorosos (mais de 200 estudos foram conduzidos sobre a Stevia atestando a sua segurança) arbitrados pela Agência de Alimentos e Medicamentos dos EUA (Food and Drug Administration, FDA) e o Comité Conjunto de Especialistas da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO /OMS) em aditivos alimentares. Estes reconhecem a Stevia como segura.
 

Os principais benefícios desta planta são:
- Não contém calorias - ajuda a combater a obesidade (100mg contém 0,4 calorias)
- Atenua o desejo de comer.
- Não altera o nível de açúcar no sangue.
- Não é tóxica.
- Inibe a formação da placa e de cáries (conteúdo elevado de vitamina C e clorofila)
- Pode ser usada para cozinhar.
- Pode ser usada a nível cosmético - torna a pele mais macia e firme, combate as impurezas.


NOTA: Embora se afirme que a Stevia não apresenta efeitos secundários, deve-se alertar para o facto de ter uma possível acção anticoncepcional, pois o povo Guaranis utilizam-na para evitar a concepção.


Como utilizar a Stevia:
Folhas frescas moídas: podes colocar as folhas moídas na comida, como tempero. Adiciona enquanto a comida ainda estiver quente, porque o sabor doce é libertado mais facilmente quando a planta é aquecida.

Como adoçante: seca as folhas (12 horas ao sol), esmaga-as num almofariz até ficarem em pó e utiliza na culinária como se fosse açúcar.

Deixo aqui a dica de uma Receita com Stevia: 


Arroz doce de maçã, sem açúcar 

1 chávena (chá) de arroz cru lavado
2 chávenas (chá) de água
½ litro de bebida de avelã
2 chávenas (chá) de Stevia esmagada
2 chávenas de sementes de chia demolhadas
1 colher (sopa) de óleo de coco
1 colher (chá) de baunilha
3 maçãs vermelhas
1 colher de chá de canela em pó
Canela para polvilhar

Modo de preparar:

Numa panela, ferve a água e acrescente o arroz. Cozinha até secar. Mistura-lhe a bebida de avelã, a baunilha, a canela em pó e a Stevia. Deixa cozinhar até descolar do fundo da panela. Desliga e reserve até arrefecer. Mistura a chia com o óleo de coco. Unta uma assadeira, forra com fatias de maçã, despeja o arroz doce, coloca outra camada de maçã, polvilha com canela e leva ao forno, por aproximadamente 30 minutos. 

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Bolo de Cenoura [sem açúcar e sem glúten]

Andava com vontade de comer um bolo de nozes, mas não encontrava nenhuma receita que me desse água na boca, então fui para a cozinha fazer experiências com base numa diversidade imensa de receitas que fui vendo...adaptei, adaptei...e adaptei e saiu tudo menos um bolo de nozes (rsrsrsss)...mas ficou delicioso na mesma (vá lá...uffa!!)
Ora aqui vai a receita para quem quiser aventurar-se:
Vais precisar de:
- 2 chávenas de farinha de trigo sarraceno - 3 colheres de chá de fermento - 5 colheres de chá de canela em pó - 5 cenouras raladas - 1/2 chávena de coco ralado - 1/2 chávena de nozes raladas - 300g de tâmaras trituradas - 1/2 chávena de bebida vegetal (usei de arroz e soja do aldi) - 2 colheres café de baunilha

Pré-aquece o forno a 180ºC

Mistura todos os secos/sólidos e depois vai adicionando o liquido.
Bate tudo muito bem e leva ao forno cerca de 50minutos (depende de cada forno).

Eu costumo usar formas de silicone para não ter de adicionar gordura, fica a dica.

Bom apetite!!


Questionas-te se a Vitamina D é prejudicial sem a vitamina K?

Nos últimos tempos muito se tem falado sobre o possível prejuízo que a ingestão de vitamina D pode ter na ausência da vitamina K, mas as alegações científicas ainda não são muito consistentes. Como as pessoas que recorrem à minha consulta de naturopatia sabem, eu não sou muito apologista da suplementação nutricional. Existem casos em que ela é realmente necessária, existem outros casos em que recorrer a suplementação nutricional numa fase inicial pode ajudar o paciente a recuperar mais rápido, mas na maioria dos casos, recorrendo aos alimentos, ou seja, aos nossos suplementos “in vivo” é mais do que suficiente para se obter bons resultados terapêuticos. Dito isto, já podem antever que a minha opinião acerca do consumo de vitamina K sob a forma de suplemento não é muito abonatória, mas lá está...cada caso é um caso e há que se analisar individualmente a condição clinica da pessoa que procura ajuda.
Como todos sabemos, as vitaminas D e K são vitaminas lipossolúveis, ou seja, solúveis e…

As tâmaras e o trabalho de parto

Desde os tempos bíblicos, as tâmaras eram consideradas possuidoras de propriedades curativas profundas, mas só agora a ciência vem confirmar o que os nossos antepassados já sabiam.
Um estudo publicado no Journal of Obstetrics and Gynecology em 2011 e intitulado "O efeito do consumo das tâmaras no final da gravidez[i]", apresentou a investigação do efeito do consumo das tâmaras nos parâmetros do trabalho de parto e nos seus resultados. Ao longo de 11 meses na Jordan University of Science and Technology, dois grupos de mulheres foram incluídas num estudo prospectivo onde 69 mulheres consumiram seis tâmaras por dia durante 4 semanas antes da data prevista para o parto, contra 45 mulheres que não consumiram nenhuma. Estas mulheres tinham parâmetros semelhantes por isso não houve diferença significativa na idade gestacional, idade e paridade (o número de vezes que a mulher engravidou) entre os dois grupos.
Os resultados do estudo foram os seguintes:
• Melhoria da dilatação cervical: