Avançar para o conteúdo principal

Proteínas nos vegetarianos - As leguminosas são mesmo essenciais?!?

Quando alguém refere que é vegetariano a primeira pergunta que surge é:

Ok! És vegetariano, mas comes peixe certo? (eheh, esta acontece-me com frequência)

e a segunda...

Onde vais buscar as proteínas?

e por vezes uma terceira...

Então tens que comer feijão, grão e companhia todos os dias certo?



Então, vamos por partes:

Quando alguém afirma que é vegetariano, significa que não come carne seja ela da fonte que for - vacas, porcos, coelhos, peixe, camarões, santolas, caracóis, sapos, cães, pássaros...and so on. Resumindo, não comemos nada que tenha olhos, coração e sentimentos. 

Em relação à proteína, esta encontra-se em praticamente todos os alimentos mas em quantidades diferentes. Há que desfazer o mito que a proteína é coisa da carne e das leguminosas...Nada disso, um morango tem proteína, uma batata tem proteína, uma folha de alface idem...tudo (ou quase tudo) tem proteína mas em doses variáveis...De qualquer forma, se fores uma pessoa que quer comer muita proteína, seja pelo motivo que for, fica descansada porque não tens de recorrer às leguminosas diariamente (apesar dos seus benefícios). Tens alimentos como a couve e as urtigas que são altamente ricos em proteína entre muitos outros benefícios que te proporcionam à saúde.

Como bem sabes, a couve é extremamente rica em clorofila e a clorofila tem uma estrutura molecular semelhante às nossas células vermelhas do sangue, com a excepção da molécula central, que na clorofila é o magnésio e no sangue é o ferro, o que faz com que actue no corpo de forma semelhante à hemoglobina, ou seja, aumenta o nível de oxigénio e nutrientes para as nossas células.

Além da clorofila, a couve também te fornece muitas outras vitaminas e minerais como as vitaminas K, A, C e E, minerais como manganês, cálcio, ferro e cobre. O que faz da couve (e outras crucíferas) especial é o facto de possuir glucosinolatos. Este composto após ingerido sofre a acção da enzima mirosinase, que é libertada da couve durante o processo de mastigação ou pela flora intestinal. A sua acção permite transformar os glucosinolatos em compostos como o sulfurafano ou o indol-3-carbinol.

E perguntas-me tu para que servem estes compostos?

Ora o seu efeito mais significativo é o seu potencial anti-cancerígeno e o efeito que promove na desintoxicação hepática. Vê só...

- Impede a activação de alguns carcinogénicos, por bloquear a sua activação inicial;

- Permite uma eliminação mais eficaz de tóxicos e do controlo do stress oxidativo;

- Evita a proliferação e promove a apoptose (morte celular) das células maldosas;

- Tem um efeito anti-inflamatório e anti-bacteriano.

Um estudo publicado na revista Cell revela que as crucíferas são necessárias para a activação e manutenção dos linfócitos intraepiteliais especializados (células do sistema imunitário) no sistema digestivo, que além de nos protegerem dos agentes invasores, também ajudam na coordenação da manutenção e reparação da estrutura intestinal.

Se o nível de células imunitárias adequadas a nível intestinal não estiverem em quantidades suficientes, surge a inflamação.

Duas semanas de uma dieta pobre em hortícolas, fizeram desaparecer dos seus intestinos 70 a 80% das células imunitárias protectoras. É caso para dizer que aquela expressão "ai que a burra vais às couves" nunca fez tanto sentido como nos dias de hoje, por isso, ainda bem que a burra vai às couves e nós devíamos ir com ela!!



Urtigas
Beber uma xícara de chá de urtiga por dia pode ter efeitos significativos sobre o seu sangue! É um dos melhores purificadores de sangue disponíveis, e podem assim limpar internamente o ezema e ajudar a combater a anemia. Ele tem uma enorme influência sobre o pâncreas e assistências ajuda na redução da pressão arterial e os níveis de glicose no sangue. Ardor urtigas não só ajudam o sangue, mas a proteger contra a perda de cabelo, pedras nos rins, alergias, febre dos fenos, osteoartrite, hemorragia interna, hemorragia uterina, hemorragia nasal e sangramento intestinal. Eles protegem contra o aumento do baço, diabetes, distúrbios endócrinos, ácido do estômago, diarréia, disenteria, congestão pulmonar, câncer e anti-envelhecimento.

A melhor maneira de consumir urtigas é no início da manhã, antes do café. Beba o chá todos os dias durante um mês, duas vezes por ano, para ajudar a purificar e limpar o sangue.






Bibliografia: 
1. Steinbrecher A, Nimptsch K, Hüsing A, Rohrmann S, Linseisen J. Dietary glucosinolate intake and risk of prostate cancer in the EPIC-Heidelberg cohort study. Int J Cancer. 2009 Nov 1;125(9):2179-86. 
2. Jane V. Higdon,§ Barbara Delage, David E. Williams, and Roderick H. Dashwood. Cruciferous Vegetables and Human Cancer Risk: Epidemiologic Evidence and Mechanistic Basis. Pharmacol Res. 2007 March; 55(3): 224–236.
5.Heather Ann Brauer,Tanya E Libby, Breeana L Mitchell, et al. Cruciferous vegetable supplementation in a controlled diet study alters the serum peptidome in a GSTM1-genotype dependent manner. Nutr J. 2011; 10: 11. 
6. Li Tang, Gary R. Zirpoli, Khurshid Guru, Kirsten B. Moysich, Yuesheng Zhang, Christine B. Ambrosone, andSusan E. McCann. Intake of Cruciferous Vegetables Modifies Bladder Cancer Survival. Cancer Epidemiol Biomarkers Prev. 2010 July; 19(7): 1806–1811. 
7. Li Tang, Gary R Zirpoli, Vijayvel Jayaprakash, Mary E Reid, Susan E McCann, Chukwumere E Nwogu,Yuesheng Zhang, Christine B Ambrosone, and Kirsten B Moysich. Cruciferous vegetable intake is inversely associated with lung cancer risk among smokers: a case-control study. BMC Cancer. 2010; 10: 162. 
8. Yanyan Li, Tao Zhang, Hasan Korkaya, Suling Liu, Hsiu-Fang Lee, Bryan Newman, Yanke Yu, Shawn G. Clouthier, Steven J. Schwartz, Max S. Wicha, and Duxin Sun. Sulforaphane, a Dietary Component of Broccoli/Broccoli Sprouts, Inhibits Breast Cancer Stem Cells. Clin Cancer Res. 2010 May 1; 16(9): 2580–2590. 
9. Kozue Sakao and Shivendra V. Singh. D,L-Sulforaphane-Induced Apoptosis in Human Breast Cancer Cells Is Regulated by the Adapter Protein p66Shc. J Cell Biochem. 2012 February; 113(2): 599–610. 
10. Patricia A. Egner, Jian Guo Chen, Jin Bing Wang, et al. Bioavailability of sulforaphane from two broccoli sprout beverages: Results of a short term, cross-over clinical trial in Qidong, China. Cancer Prev Res (Phila). 2011 March; 4(3): 384–395. 
11. Benninghoff AD, Williams DE. The role of estrogen receptor beta in transplacental cancer prevention by indole-3-carbinol. Cancer Prev Res (Phila). 2013 Feb 27. 
12. Brandi G, Fraternale A, Lucarini S, Paiardini M, De Santi M, Cervasi B, Paoletti MF, Galluzzi L, Duranti A, Magnani M. Antitumoral Activity of Indole-3-carbinol Cyclic Tri- and Tetrameric Derivatives mixture in Human Breast CancerCells: In Vitro and In Vivo Studies. Anticancer Agents Med Chem. 2012 Oct 18. 
13. Wang TT, Schoene NW, Milner JA, Kim YS. Broccoli-derived phytochemicals indole-3-carbinol and 3,3'-diindolylmethane exerts concentration-dependent pleiotropic effects on prostate cancer cells: comparison with other cancer preventive phytochemicals. Mol Carcinog. 2012 Mar;51(3):244-56.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

O que deves saber para agilizar as constipações e a tosse nos bebés.

A cada ano, centenas de bebés e crianças sofrem de constipações e tosse, principalmente devido ao seu sistema imunitário ainda imaturo.

É muito fácil identificarmos os sintomas de constipação e tosse nas nossas crianças. Começam logo a ficar com o nariz congestionado, com muita ranhoca (corrimento nasal), febre baixa, tosse, perda de apetite, irritabilidade e dificuldade em dormir. Qual a mãe, pai ou outro educador que não reconhece o desafio que é cuidar de uma criança doente? A natureza delas é de felicidade, alegria e brincadeira...de repente sentem-se mal apresentando alguma dificuldade em compreender claramente aquilo que estão a sentir, como tal, o nosso papel é orientá-las e ajuda-las a sentirem-se o melhor possível no menor espaço de tempo.

Como sou a favor da posição da American Academy of Pediatrics a qual desaconselha dar medicamentos para a tosse e constipações a crianças menores de 6 anos devido aos potenciais efeitos colaterais desses medicamentos, opto, sempre que poss…

Bolo de Cenoura [sem açúcar e sem glúten]

Andava com vontade de comer um bolo de nozes, mas não encontrava nenhuma receita que me desse água na boca, então fui para a cozinha fazer experiências com base numa diversidade imensa de receitas que fui vendo...adaptei, adaptei...e adaptei e saiu tudo menos um bolo de nozes (rsrsrsss)...mas ficou delicioso na mesma (vá lá...uffa!!)
Ora aqui vai a receita para quem quiser aventurar-se:
Vais precisar de:
- 2 chávenas de farinha de trigo sarraceno - 3 colheres de chá de fermento - 5 colheres de chá de canela em pó - 5 cenouras raladas - 1/2 chávena de coco ralado - 1/2 chávena de nozes raladas - 300g de tâmaras trituradas - 1/2 chávena de bebida vegetal (usei de arroz e soja do aldi) - 2 colheres café de baunilha

Pré-aquece o forno a 180ºC

Mistura todos os secos/sólidos e depois vai adicionando o liquido.
Bate tudo muito bem e leva ao forno cerca de 50minutos (depende de cada forno).

Eu costumo usar formas de silicone para não ter de adicionar gordura, fica a dica.

Bom apetite!!


Questionas-te se a Vitamina D é prejudicial sem a vitamina K?

Nos últimos tempos muito se tem falado sobre o possível prejuízo que a ingestão de vitamina D pode ter na ausência da vitamina K, mas as alegações científicas ainda não são muito consistentes. Como as pessoas que recorrem à minha consulta de naturopatia sabem, eu não sou muito apologista da suplementação nutricional. Existem casos em que ela é realmente necessária, existem outros casos em que recorrer a suplementação nutricional numa fase inicial pode ajudar o paciente a recuperar mais rápido, mas na maioria dos casos, recorrendo aos alimentos, ou seja, aos nossos suplementos “in vivo” é mais do que suficiente para se obter bons resultados terapêuticos. Dito isto, já podem antever que a minha opinião acerca do consumo de vitamina K sob a forma de suplemento não é muito abonatória, mas lá está...cada caso é um caso e há que se analisar individualmente a condição clinica da pessoa que procura ajuda.
Como todos sabemos, as vitaminas D e K são vitaminas lipossolúveis, ou seja, solúveis e…