Avançar para o conteúdo principal

Os 4 Pilares da Alimentação Higienista

Primeiro pilar: Saúde com Consciência

A conquista da saúde plena requer de cada um a sua parcela de busca pela informação e auto-conhecimento.
Cada pessoa é única e apresenta necessidades diferenciadas, a cada momento da vida. Portanto, quando estou grávida tenho uma necessidade nutricional, quando mudo de emprego outra, quando estou de férias outra, quando tenho 20 anos outra, quando tenho 30 outra; e assim sucessivamente.

Cada Ser humano deve-se informar, estudar não só os conhecimentos sobre os alimentos, mas acima de tudo sobre o seu corpo, o metabolismo humano, as suas necessidades básicas, como também aprender a conhecer-se para dar ao seu corpo aquilo que necessita e melhor aproveita. O Ser humano nasceu para ser longevo e jamais doente, mas longevidade com qualidade de vida.

A Alimentação Higienista tem como pilar a força de muita informação clara e objetiva, para trazer consciência, motivação e a possibilidade de cada indivíduo usá-las como instrumentos de criação e manutenção da sua própria saúde. Num mundo onde os interesses económicos predominam muitas vezes sobre a ética e a moral, aquele que não estuda, pesquisa e se informa, inevitavelmente será uma vítima vulnerável a doenças, distúrbios e desequilíbrios.

Segundo pilar: Baixo Custo, Máximo Benefício

A vida é simples, nós é que a complicamos, quando valorizamos prazeres absurdos, grandiosidades e sofisticações. A natureza fornece-nos tudo o que precisamos para uma vida equilibrada e saudável. Refiro-me às frutas, folhas, raízes, legumes, sementes... Todos estes alimentos enchem o carrinho do supermercado com metade do valor que gastaríamos com os alimentos industrializados, as carnes e todos os enfeites que o capitalismo faz questão de nos seduzir e vender, além dos gastos extras que esses alimentos acarretam quando nos fazem ficar doentes, desequilibrados, compulsivos, viciados, envenenados e intoxicados.
A Alimentação Higienista incentiva o consumo dos alimentos no seu estado natural e nutritivo trazendo grandes benefícios para a saúde, vitalidade, inteligência e equilíbrio emocional.

Terceiro pilar: Versatilidade

O principal objectivo da Alimentação Higienista é facilitar a limpeza e lucidez para poder gerar a tão necessária independência, liberdade de escolha e liberdade de acção orgânica.
Não existem regras complicadas, nem grandes elaborações o segredo é manter a simplicidade dos alimentos.

Quarto pilar: Praticabilidade

A humanidade está cercada de regras e obrigações. O tempo é curto para atender a tantas demandas.
A Alimentação Higienista tem a magia de ser extremamente simples e prática.
Levantas-te de manhã, vais à cozinha e bebes um batido de frutas e verdes.
Não tens frutas nem verduras no frigorífico? Óptimo, espreme um limão ou uma laranja, ou os 2 juntos em meio copo de água e pronto.
Estás atrasada para ir trabalhar? é só meter 3 bananas na mala…assim que sentires fome vá uma banana.
Está quase na hora do almoço? ainda te sobrou 2 bananas certo? então come mais uma para evitar a leucocitose digestiva e depois almoça. A meio da tarde a fome já aperta certo? boa porque ainda sobrou uma banana, e assim por diante. Podes pôr na mala também uma colher de sopa de amêndoas, nozes, passas e outras frutas, o que importa é que te alimentes maioritariamente de alimentos ricos em enzimas, enzimas estas essenciais à manutenção da saúde que não se encontram presentes nos alimentos cozinhados.

A Alimentação Higienista é tão simples que podes praticá-la mesmo com a azáfama do dia-a-dia..

Enfim muitos motivos e facilidades para praticar a Alimentação Higienista.
Começa ontem a incorporar nutrientes vivos e enzimas diariamente, pois ao fim de uma semana de prática já são evidentes os resultados: mais vitalidade e disposição, melhor sono, agilidade mental e memória, intestinos mais activos, visão mais clara, vontade de colocar as coisas em dia, enfim, mais vontade de viver e enfrentar os desafios do dia-a-dia.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

O que deves saber para agilizar as constipações e a tosse nos bebés.

A cada ano, centenas de bebés e crianças sofrem de constipações e tosse, principalmente devido ao seu sistema imunitário ainda imaturo.

É muito fácil identificarmos os sintomas de constipação e tosse nas nossas crianças. Começam logo a ficar com o nariz congestionado, com muita ranhoca (corrimento nasal), febre baixa, tosse, perda de apetite, irritabilidade e dificuldade em dormir. Qual a mãe, pai ou outro educador que não reconhece o desafio que é cuidar de uma criança doente? A natureza delas é de felicidade, alegria e brincadeira...de repente sentem-se mal apresentando alguma dificuldade em compreender claramente aquilo que estão a sentir, como tal, o nosso papel é orientá-las e ajuda-las a sentirem-se o melhor possível no menor espaço de tempo.

Como sou a favor da posição da American Academy of Pediatrics a qual desaconselha dar medicamentos para a tosse e constipações a crianças menores de 6 anos devido aos potenciais efeitos colaterais desses medicamentos, opto, sempre que poss…

Bolo de Cenoura [sem açúcar e sem glúten]

Andava com vontade de comer um bolo de nozes, mas não encontrava nenhuma receita que me desse água na boca, então fui para a cozinha fazer experiências com base numa diversidade imensa de receitas que fui vendo...adaptei, adaptei...e adaptei e saiu tudo menos um bolo de nozes (rsrsrsss)...mas ficou delicioso na mesma (vá lá...uffa!!)
Ora aqui vai a receita para quem quiser aventurar-se:
Vais precisar de:
- 2 chávenas de farinha de trigo sarraceno - 3 colheres de chá de fermento - 5 colheres de chá de canela em pó - 5 cenouras raladas - 1/2 chávena de coco ralado - 1/2 chávena de nozes raladas - 300g de tâmaras trituradas - 1/2 chávena de bebida vegetal (usei de arroz e soja do aldi) - 2 colheres café de baunilha

Pré-aquece o forno a 180ºC

Mistura todos os secos/sólidos e depois vai adicionando o liquido.
Bate tudo muito bem e leva ao forno cerca de 50minutos (depende de cada forno).

Eu costumo usar formas de silicone para não ter de adicionar gordura, fica a dica.

Bom apetite!!


Questionas-te se a Vitamina D é prejudicial sem a vitamina K?

Nos últimos tempos muito se tem falado sobre o possível prejuízo que a ingestão de vitamina D pode ter na ausência da vitamina K, mas as alegações científicas ainda não são muito consistentes. Como as pessoas que recorrem à minha consulta de naturopatia sabem, eu não sou muito apologista da suplementação nutricional. Existem casos em que ela é realmente necessária, existem outros casos em que recorrer a suplementação nutricional numa fase inicial pode ajudar o paciente a recuperar mais rápido, mas na maioria dos casos, recorrendo aos alimentos, ou seja, aos nossos suplementos “in vivo” é mais do que suficiente para se obter bons resultados terapêuticos. Dito isto, já podem antever que a minha opinião acerca do consumo de vitamina K sob a forma de suplemento não é muito abonatória, mas lá está...cada caso é um caso e há que se analisar individualmente a condição clinica da pessoa que procura ajuda.
Como todos sabemos, as vitaminas D e K são vitaminas lipossolúveis, ou seja, solúveis e…