Avançar para o conteúdo principal

INTESTINOS, FÍGADO E VESÍCULA

    Para a Naturopatia, tanto a prevenção como o tratamento assentam sempre na base da desintoxicação e fortalecimento do sistema imunitário, capacitando o organismo para a defesa dos ataques orgânicos sistemáticos. No caso de já se encontrar instalada uma patologia, dão-se ferramentas para que seja o próprio corpo a combatê-la.
    Assim, a Naturopatia encara como base incontornável da manutenção e da recuperação da saúde, o bom funcionamento dos intestinos, do fígado e da vesícula.
    A importância atribuída aos intestinos é devido, principalmente, ao bom aproveitamento que a partir do fígado o corpo poderá ou não fazer dos alimentos que lhe são fornecidos; E a sua  capacidade de conseguir libertar-se diariamente dos resíduos que, de outra forma, irão contribuir para a putrefacção e intoxicação do organismo, causando assim, distúrbios como flatulências, dores abdominais e de cabeça. O fígado e a vesícula biliar possuem múltiplas funções que são fundamentais para um bom metabolismo dos alimentos, principalmente das gorduras, dos açúcares e do álcool.
    A obstipação, por exemplo, é muitas vezes, resultado de um mau funcionamento do sistema hepático, sendo assim, uma abordagem importante da naturopatia, é a regulação hepática de forma a devolver o normal funcionamento dos intestinos, em vez de se optar por uma solução mais rápida mas prejudicial como os laxantes, que ao aumentarem e forçarem a expulsão das fezes, estão também a destruir a flora intestinal bacteriana má como também a boa, essencial para a saúde destes.
    Independentemente do problema de saúde apresentado, a Naturopatia inicia sempre o seu plano terapêutico pela promoção do bom funcionamento dos intestinos e do sistema hepático, reduzindo ou eliminando alimentos que dificultem o seu bom funcionamento, como o açúcar, o leite de vaca, cereais refinados, batatas, carne, os fritos, as gorduras em excesso, principalmente saturadas, os enchidos, o álcool, entre outros; Complementando, com a introdução de alimentos que facilitem as funções orgânicas e com Fitoterápicos que ajudam na eliminação de substâncias tóxicas ao organismo, assim como na regeneração do sistema hepático e da flora intestinal bacteriana.
    O estilo de vida actual, sujeita-nos a um ataque externo cada vez mais intenso: o stress, a falta de descanso e de sono são agressões orgânicas muito fortes que prejudicam em muito o nosso sistema hepático, assim como todo o nosso organismo. A este nível, são poucos os passos que podemos dar para diminuir essa agressão externa no entanto existem algumas mudanças que poderão ser feitas.
    Quantos de nós chegam a casa depois do trabalho e a primeira coisa que fazem é ligar a televisão e ver as noticias, telenovelas, filmes? Pode parecer insignificante, mas a substituição desses maus hábitos diários por duas a três noites semanais de silencio ou musica calma de fundo, conversar com a família, ler um livro, passear um pouco á noite e deitar cedo, fazem diminuir os níveis de stress orgânico e como consequência aumentar as defesas imunitárias, contribuindo assim para um maior bem estar, tanto físico, como psicológico e em alguns casos, social.

Partilhar

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Bolo de Cenoura [sem açúcar e sem glúten]

Andava com vontade de comer um bolo de nozes, mas não encontrava nenhuma receita que me desse água na boca, então fui para a cozinha fazer experiências com base numa diversidade imensa de receitas que fui vendo...adaptei, adaptei...e adaptei e saiu tudo menos um bolo de nozes (rsrsrsss)...mas ficou delicioso na mesma (vá lá...uffa!!)
Ora aqui vai a receita para quem quiser aventurar-se:
Vais precisar de:
- 2 chávenas de farinha de trigo sarraceno - 3 colheres de chá de fermento - 5 colheres de chá de canela em pó - 5 cenouras raladas - 1/2 chávena de coco ralado - 1/2 chávena de nozes raladas - 300g de tâmaras trituradas - 1/2 chávena de bebida vegetal (usei de arroz e soja do aldi) - 2 colheres café de baunilha

Pré-aquece o forno a 180ºC

Mistura todos os secos/sólidos e depois vai adicionando o liquido.
Bate tudo muito bem e leva ao forno cerca de 50minutos (depende de cada forno).

Eu costumo usar formas de silicone para não ter de adicionar gordura, fica a dica.

Bom apetite!!


Questionas-te se a Vitamina D é prejudicial sem a vitamina K?

Nos últimos tempos muito se tem falado sobre o possível prejuízo que a ingestão de vitamina D pode ter na ausência da vitamina K, mas as alegações científicas ainda não são muito consistentes. Como as pessoas que recorrem à minha consulta de naturopatia sabem, eu não sou muito apologista da suplementação nutricional. Existem casos em que ela é realmente necessária, existem outros casos em que recorrer a suplementação nutricional numa fase inicial pode ajudar o paciente a recuperar mais rápido, mas na maioria dos casos, recorrendo aos alimentos, ou seja, aos nossos suplementos “in vivo” é mais do que suficiente para se obter bons resultados terapêuticos. Dito isto, já podem antever que a minha opinião acerca do consumo de vitamina K sob a forma de suplemento não é muito abonatória, mas lá está...cada caso é um caso e há que se analisar individualmente a condição clinica da pessoa que procura ajuda.
Como todos sabemos, as vitaminas D e K são vitaminas lipossolúveis, ou seja, solúveis e…

As tâmaras e o trabalho de parto

Desde os tempos bíblicos, as tâmaras eram consideradas possuidoras de propriedades curativas profundas, mas só agora a ciência vem confirmar o que os nossos antepassados já sabiam.
Um estudo publicado no Journal of Obstetrics and Gynecology em 2011 e intitulado "O efeito do consumo das tâmaras no final da gravidez[i]", apresentou a investigação do efeito do consumo das tâmaras nos parâmetros do trabalho de parto e nos seus resultados. Ao longo de 11 meses na Jordan University of Science and Technology, dois grupos de mulheres foram incluídas num estudo prospectivo onde 69 mulheres consumiram seis tâmaras por dia durante 4 semanas antes da data prevista para o parto, contra 45 mulheres que não consumiram nenhuma. Estas mulheres tinham parâmetros semelhantes por isso não houve diferença significativa na idade gestacional, idade e paridade (o número de vezes que a mulher engravidou) entre os dois grupos.
Os resultados do estudo foram os seguintes:
• Melhoria da dilatação cervical: