Avançar para o conteúdo principal

Alimentos fundamentais na minha cozinha.

A comida é e deve ser a nossa base para uma boa saúde.
Baseando-me nesse princípio, as alterações alimentares são sempre a principal ferramenta que utilizo para ajudar os meus pacientes a obter saúde, que por sua vez permite-lhes transformar completamente a sua visão sobre o próprio corpo.

Hoje vou-vos falar acerca dos principais alimentos que tenho sempre na cozinha e que consumo diariamente. São alimentos de fácil confecção e flexíveis, pois podem dar origem aos mais diversos pratos.

Fruta: Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) devemos consumir diariamente no mínimo três peças de fruta, idealmente cinco porções de fruta dependendo das necessidades de cada pessoa.
A fruta é essencial para uma boa manutenção da saúde pois são alimentos extremamente nutritivos que nos fornecem as mais variadas vitaminas, minerais, diferentes tipos de fibras alimentares e flavonóides que ajudam a optimizar a saúde. Na cozinha tenho sempre fruta variada e à mão para que quando a fome aperta ser das primeiras coisas onde o olhar se volta, evitando assim escolhas menos adequadas.

Óleos de qualidade (e em pouca quantidade): Azeite extra virgem, óleo de coco, de sementes de sésamo e linho. A gordura auxilia o teu corpo a produzir mais energia e deixa-te saciada por mais tempo. Embora essencial e sempre presente na alimentação, o seu consumo em forma de óleo deve ser moderado.
O abacate é outro exemplo de gordura da boa que devemos ter sempre em casa e tem a vantagens de ser extremamente versátil, pois com ele podes fazer sandes, saladas, batidos, papas, molhos e até sobremesas. A dose recomendada de gordura “liquida” por dia é no máximo 2 colheres de sopa por pessoa. 

Tubérculos e Abóbora: Cenouras, beterrabas, batata doce, abóbora, são extremamente ricas em vitamina A que por sua vez promove a saúde imunitária, auxilia na regeneração celular e melhora e visão. 

Vegetais de folha verde (quanto mais escuro melhor): Idealmente faz parte do prato em todas as refeições com a grande vantagem da variedade ser imensa, desde brócolos, couves incluindo as de bruxelas, acelgas, espinafres, grelos, já viste a imensidão que tens? 

Frutos secos e sementes: os frutos secos são ricos em proteínas, cálcio, magnésio e gorduras de boa qualidade. As tâmaras para fazer doces ou para os acessos de gula. As amêndoas e as nozes utilizo em forma de patés, por vezes junto ao arroz integral para o enriquecer e também as utilizo nos vegyburgueres pois são especialmente eficazes na redução do colesterol e ajudam-nos a manter uma energia constante. As sementes de girassol e de abóbora ficam maravilhosas em saladas e como são ricas em proteínas, zinco e muitos outros minerais formam uma aliança perfeita com a salada. Por vezes também as adiciono a sopas ou aos assados.

Leguminosas: Lentilhas, feijão, grão, ervilhas...São muito ricas em proteínas, ferro, cálcio e zinco. Nutrientes essenciais para o bom funcionamento da nossa saúde. Sabias que os povos com maior longevidade são também os que consomem abundantemente e regularmente leguminosas?

Cereais integrais: Arroz integral e quinoa são os cereais sempre presentes na minha cozinha. Apesar das dúvidas que vão surgindo em relação ao seu consumo penso que, tendo em conta que os cereais têm feito parte da dieta humana há milhares de anos, devem ser consumidos regularmente até porque nos fornecem nutrientes importantes e fibras para uma boa saúde intestinal que nos ajuda a manter o sistema nervoso e imunitário equilibrado.
No entanto, algumas pessoas, não toleram bem os cereais devido a sensibilidades alimentares, muitas até descobrem que ao evitar o consumo destes alimentos, os seus níveis de açúcar no sangue tornam-se mais equilibrados e vêem-se a reduzir a sua gordura corporal. Por isso, é que defendo que cada corpo é um corpo e que cada pessoa deve ser avaliada individualmente respeitando a singularidade de cada organismo.
Mas para a maioria de nós, uma pequena quantidade de cereais integrais, duas vezes por dia é absolutamente saudável. Os grandes distúrbios surgem principalmente quando nos alimentamos principalmente de farinhas e produtos refinados/processados.

Cogumelos: Excelentes fontes de vitaminas B, proteínas e fósforo. Além disso ainda são ricos em fibras e ácido fólico que beneficiam a saúde intestinal, reduzem a absorção de gordura, previnem as doenças cardiovasculares e são importantes como tratamento complementar das mais diversas doenças degenerativas, logo, fundamental na cozinha.


E tu? O que tens sempre na tua cozinha?

Comentários

Mensagens populares deste blogue

O que deves saber para agilizar as constipações e a tosse nos bebés.

A cada ano, centenas de bebés e crianças sofrem de constipações e tosse, principalmente devido ao seu sistema imunitário ainda imaturo.

É muito fácil identificarmos os sintomas de constipação e tosse nas nossas crianças. Começam logo a ficar com o nariz congestionado, com muita ranhoca (corrimento nasal), febre baixa, tosse, perda de apetite, irritabilidade e dificuldade em dormir. Qual a mãe, pai ou outro educador que não reconhece o desafio que é cuidar de uma criança doente? A natureza delas é de felicidade, alegria e brincadeira...de repente sentem-se mal apresentando alguma dificuldade em compreender claramente aquilo que estão a sentir, como tal, o nosso papel é orientá-las e ajuda-las a sentirem-se o melhor possível no menor espaço de tempo.

Como sou a favor da posição da American Academy of Pediatrics a qual desaconselha dar medicamentos para a tosse e constipações a crianças menores de 6 anos devido aos potenciais efeitos colaterais desses medicamentos, opto, sempre que poss…

As tâmaras e o trabalho de parto

Desde os tempos bíblicos, as tâmaras eram consideradas possuidoras de propriedades curativas profundas, mas só agora a ciência vem confirmar o que os nossos antepassados já sabiam.
Um estudo publicado no Journal of Obstetrics and Gynecology em 2011 e intitulado "O efeito do consumo das tâmaras no final da gravidez[i]", apresentou a investigação do efeito do consumo das tâmaras nos parâmetros do trabalho de parto e nos seus resultados. Ao longo de 11 meses na Jordan University of Science and Technology, dois grupos de mulheres foram incluídas num estudo prospectivo onde 69 mulheres consumiram seis tâmaras por dia durante 4 semanas antes da data prevista para o parto, contra 45 mulheres que não consumiram nenhuma. Estas mulheres tinham parâmetros semelhantes por isso não houve diferença significativa na idade gestacional, idade e paridade (o número de vezes que a mulher engravidou) entre os dois grupos.
Os resultados do estudo foram os seguintes:
• Melhoria da dilatação cervical:

Mercúrio presente no marisco e no peixe aumenta risco para Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA)

Um estudo recente em 518 pessoas constatou que elevados níveis de mercúrio no corpo associado ao consumo de peixe e marisco aumenta o risco de desenvolver a doença de Lou Gehrig (ELA), uma doença neurodegenerativa que leva à paralisia e à morte. Entender os factores de risco da esclerose lateral amiotrófica possibilita-nos realizar alterações no nosso estilo de vida, como por exemplo, evitar o consumo de peixes e moluscos, de forma a prevenir esta doença e diminuir a incidência a longo prazo.
Nota de pesquisa: Pesquisas epidemiológicas como essa podem revelar novos factores comportamentais humanos ou exposições ambientais que nos levam à doença. Estudos a nível da população também podem fornecer uma visão ampla de como a doença se desenvolve em seres humanos que não teria sido prontamente descoberto em estudos animais ou celulares.